Nakao brilha no terceiro dia da Semana de Moda

Em seu terceiro dia, no domingo à noite, a Semana de Moda retomou a velha fórmula de um desfile atrás do outro, com intervalinho de cinco minutos entre um e outro, para alívio de todo mundo que aturou horas de espera nos primeiros dias do evento. Abrindo a noite, surgiu Lorenzo Merlino, que, como um bom filho, voltou à Casa de Criadores - onde foi lançado e de onde saiu, na quinta edição, para promover apresentações solo. Só que, desta vez, a asteridade costumeira de Lorenzo ficou no passado, sem que fosse substituída por algo a altura. Faltou tempero. A modelagem revela a preferência pelos curtos, com shorts e macaquinhos. A estamparia destaca notas musiciais. Ele volta a fazer maiôs e biquínis, mantendo o espírito de presos por um fio. Boa a calça com falsa-caneleira e lástex na panturrilha. Jum Nakao fez o desfile mais consistente da noite, jogando com a alfaiataria no feminino e no masculino. Destaque para as bolsas-terno e para as calças de fuligem com terra. Os listados coloridos em todas as direções merecem registro. Jotta Sybbalena fez boa estamparia, com imagens de bandas de heavy metal, como Metálica e Iron Maiden, e a marca Sybbalena imitiando a embalagem de maizena. As botas repletas de fivelas eram uma história à parte. O domingo teve também a estréia de Eduardo Inagaki, que foi assistente de Walter Rodrigues. As peças gastaram todo tecido colocado à disposição do novato, que fez formas volumosas em verdadeiros vestidos-cortinas. Muito boa a estampa que traz um perfil invadindo as peças.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.