Nada vai dar certo com Katie e Josh

Pode até ser que O Casamento do Meu Ex não seja um bom filme, mas, com certeza, está sendo vendido de forma equivocada para o público. O fato de ter Josh Duhamel, o belo de plantão em Hollywood, e Katie Holmes à frente do elenco incita o espectador a crer que se trata de uma comédia romântica, e toda a publicidade é voltada nesta direção. Seria o caso de ir-se queixar no Procon, mas contra quem?

Luiz Carlos Merten, O Estado de S.Paulo

03 de agosto de 2011 | 00h00

Como Melancolia, que estreia na sexta, O Casamento do Meu Ex também trata de um casamento numa bela casa retirada. No filme do dinamarquês Lars Von Trier é um castelo, Melancolia, por sinal, também não é uma ficção científica, embora possua elementos - o planeta em rota de colisão que vai acabar com a vida na Terra -, e, claro, é muito melhor do que O Casamento do Meu Ex, mas a diretora Galt Niederhoffer merece pelo menos que suas intenções sejam conhecidas.

Esqueça o humor, mesmo que o filme tenha momentos divertidos. A barra é mais pesada. Duhamel está se casando com Anna Paquin, uma das mutantes da série X-Men. Katie Holmes é a ex chamada para ser madrinha. Ela ainda ama o noivo. Pior - ele também sabe que está cometendo um erro ao se casar.

Entre bebedeiras - se beber não case -, Katie e Duhamel têm uma noite de sexo na natureza, mas não são os únicos a estar confusos quanto à própria identidade. Outros casais estão em crise e até a irmã da noiva não resiste a provar o vestido, o que termina dando origem a um incidente. Na ciranda de encontros e desencontros do filme de Niederhoffer, embora o título esteja correto, O Casamento do Meu Ex poderia se chamar Não se Preocupe, Nada Vai Dar Certo, como a comédia de Hugo Carvana que estreia na sexta. Pois é o que acontece - nada dá certo.

Uma comédia romântica que termina aberta, em suspense? Nada mais contrário ao espírito do gênero. O grande medo da mãe da noiva, Candice Bergen, é o tempo. Como preparou uma recepção ao ar livre, ela passa meio filme olhando para o céu e se perguntando se vai chover. O final pega carona em Robert Altman, Dr. T e as Mulheres, embora não se trate de um ciclone. Também não é o planeta de Melancolia, mas a natureza intervém para desequilibrar ainda mais o já precário universo de O Casamento do Meu Ex.

Família, amizade - nada dá certo. É raro um filme norte-americano de estúdio que seja tão derrisório. Neste sentido, O Casamento aproxima-se de Namorados para Sempre, que também não era uma comédia romântica (mas Michelle Williams e Ryan Gosling tinham mais química que Duhamel e Katie). A pergunta que não quer calar - quem é Galt Niederhoffer? Romancista e diretora, ela adaptou O Casamento de um de seus livros, The Romantics. Como François Truffaut, Galt não acredita em romantismo, Seus filmes e livros tratam de gente mal-amada e infeliz. Para ela, os EUA são The Prozac Nation.

O CASAMENTO DO MEU EX

Nome original: The Romantics. Direção: Galt Niederhoffer. Gênero: Comédia (EUA/2010, 95 min.). Censura: 12 anos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.