Divulgação
Divulgação

Na lista, estrangeiros que querem o Oscar

Você vai poder conhecer 19 dos longas que disputam a vaga

Ubiratan Brasil, O Estado de S.Paulo

21 de outubro de 2010 | 00h00

A corrida pelo Oscar de melhor filme estrangeiro já começou - na semana passada, a Academia de Artes e Ciências de Hollywood anunciou que 65 países inscreveram longas para a categoria. Desses, 19 estão na programação da Mostra, um bom aperitivo para medir forças com o concorrente nacional, Lula, o Filho do Brasil, de Fábio Barreto.

O representante francês é um dos que despertam atenção - ganhador do Grande Prêmio do Festival de Cannes deste ano, Homens e Deuses, de Xavier Beauvois, foi visto por mais de 1 milhão de espectadores em seu país. É inspirado em uma história real, sobre monges de Tiberina, raptados e assassinados por um grupo de fundamentalistas islâmicos durante a guerra civil argelina, em 1996.

A violência também marca Fora da Lei, do argelino Rachid Bouchareb, que começa e termina com dois massacres. No primeiro, em Sétig, na Argélia, em 1945, colonialistas franceses disparam contra nativos que, após a vitórias dos aliados na 2.ª Guerra, reivindicavam a independência para o seu país. No segundo, no final, uma manifestação pacífica em Paris, nos anos 1960, vira um teatro sangrento.

Outro postulante imperdível é Tio Boonmee, Que Pode Recordar Vidas Passadas, do tailandês Apichatpong Weerasethakul. Ganhador da Palma de Ouro no mesmo Festival de Cannes, o filme dividiu opiniões: estranho, experimental, majestoso e mágico para alguns, tedioso, incompreensível e alucinatório para outros. Trata-se da história do homem que sofre de insuficiência renal aguda e se retira para o campo, antecipando a morte. Lá, depois de ser visitado pela mulher e o filho que morreram, ele viaja no próprio passado, relembrando suas vidas anteriores.

Representando a Macedônia, Milcho Manchevski comparece com Mães, três histórias maternas que oferecem perspectivas distintas da atual sociedade macedônica. O longa começa como ficção, inclusive com a criação de uma mentira; em seguida, envereda para uma história sobre a criação de um mito até terminar com imagens reais, cruas, às vezes cruéis. Manchevski tornou-se queridinho do público, que considerou Antes da Chuva o melhor filme da 24.ª Mostra.

Forte competidor, Se Eu Quiser Assobiar, Eu Assobio, do romeno Florin Serban, traz outros elementos que agradam à plateia ao narrar a história do garoto que, prestes a ser liberado do reformatório, é informado pelo irmão mais novo que a mãe pretende levá-lo para a Itália. Como ela já ensaiara isso antes, com terríveis resultados, o rapaz se rebela, agride um guarda e faz uma refém. E põe sua liberdade em risco. Um drama envolvente.

QUAIS SÃO OS FILMES

Quando Partimos (Alemanha)

Fora da Lei (Argélia)

Circus Columbia (Bósnia)

Do Amor e Outros Demônios (Costa Rica)

Em Um Mundo Melhor (Dinamarca)

O Atleta (Etiópia)

Homens e Deuses (França)

Dias Violentos (Geórgia)

Mamma Gogo (Islândia)

Peepli ao Vivo (Índia)

A Primeira Coisa Linda (Itália)

Mães (Macedônia)

The Angel (Noruega)

O Ladrão de Luz (Quirguistão)

Tudo Que Amo (Polônia)

A Rosa de Kawasaki (Rep. Checa)

Se Eu Quiser Assobiar, Eu Assobio (Romênia)

Tio Boonmee, que Pode Recordar Vidas Passadas (Tailândia)

Hermano (Venezuela)

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.