Na frente de Izzy, Paul vira plateia. e backing vocal

"E se Paul McCartney me chamasse para cantar para ele? Só para ele?" A cantora paulista Izzy Gordon se perguntou isso, meio que sonhando, enquanto fazia esteira em uma academia de ginástica e via na TV o comercial da Globo chamando para a transmissão do show de Paul na noite de domingo. Claro, seria uma loucura. Afinal, ela já havia cantado para Bono Vox em 2008, e um raio não iria cair duas vezes em sua cabeça. Minutos depois, o celular toca. Era o raio de novo. "Estão querendo você para um show no bar do Hotel Hyatt. Dizem que é para um estrangeiro, deve ser o Paul McCartney", falou seu produtor.

Julio Maria, O Estado de S.Paulo

23 de novembro de 2010 | 00h00

Izzy e banda seguiram para o Upstairs Bar, do Hyatt, por volta das 22h30 de sábado. Seu nome fora indicado pelo próprio hotel para divertir Paul McCartney e sua mulher Nancy, que fazia aniversário. Izzy tremeu, mas conseguiu ficar de pé. "Eu cantando para Paul McCartney? Não dá para acreditar."

E ela começou, a pedido da produção de Paul, com Parabéns a Você para Nancy em ritmo de samba. Depois de Chega de Saudade e O Morro não Tem Vez, de Tom Jobim, além de uma música de seu próprio repertório, De Cada Lado. Paul já havia se rendido. Izzy se empolgou ao vê-lo abrir o CD que ela havia lhe dado. Sentado ali à sua frente com Nancy no colo, o beatle parecia gostar bastante. "Puxa, Izzy, ele olhava para você como olhava para o John Lennon", exagerou o empolgado Bocato, trombonista que tocou com a cantora. Paul foi para o meio da pista do pequeno bar, dançou com a namorada, sambou duro, mas sambou. Brincou com os músicos e cantou abraçado com Izzy É com Esse Que Eu Vou, pegando a melodia no improviso e abrindo uma surpreendente segunda voz. No palco, divertido, apresentava os músicos da cantora como se fossem seus músicos. Izzy fez um segundo Parabéns a Você para Nancy, e nesse momento Paul foi a seu ouvido cochichar: "Cante também para o Sidney, o Sidney." Quem? "Sy-d-ney", soletrava Paul. O bendito Sidney era um integrante de equipe do músico que também fazia aniversário. Izzy tentava entender o que dizia Paul, e ao mesmo tempo pensava: "Caramba, o Paul McCartney está cochichando no meu ouvido."

O cachê de Izzy em shows normais é de R$ 10 mil. Mas Paul McCartney, conta o empresário da cantora, pechinchou. E a apresentação ficou por R$ 7 mil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.