Na Estante da Semana, "Os Corumbas", um romance na 25ª edição

Livro de estréia do paulista Amando Fontes foi publicado em 1933. E mais: os "instrangeiros", os estrangeiros em seu próprio país; "Dona Mimma", um clássico de Luigi Pirandello; a chegada de Tomé de Souza à Bahia, os pensadores revolucionários da história...UMA COISA RARA, MUITO RARA NO BRASIL: UM ROMANCE NA 25ª EDIÇÃO.Um relançamento: Os Corumbas, livro de estréia de Amando Fontes, um paulista de Santos, publicado em 1933. O livro, agora em sua 25ª. edição (José Olympio, 240 páginas, R$ 25,00), com capa e projeto gráfico novo, foi considerado pelos críticos da época como um romance sobre o proletariado, abrindo um novo caminho na literatura de ficção brasileira. Abaixo trecho da resenha do crítico João Ribeiro, publicada em 1933 no Jornal de Brasil. "Os Corumbas é um romance do proletário infeliz e desesperançado, vivendo entre ilusões e desenganos. Uma família pobre, a dos Corumbas, emigra de uma cidade do interior do Sergipe para a capital Aracaju, onde encontrará trabalho e onde os pais retirantes esperam colocar os filhos numa das duas fábricas de fiação. Três belas filhas despertam a cupidez daquele meio vicioso e brutalmente sensual. Dessas três meninas, uma de saúde frágil, doente e inútil, sucumbe e desaparece. As outras duas vão ser colhidas em breve pelas depravações do local".UMA ESTRÉIA COMO HÁ MUITO TEMPO NÃO SE VIAO segundo romance da norte-americana Christina Schwarz está ainda na carpintaria, mas é esperado com grande expectativa. Não é para menos. A sua estréia com o romance Afogando Ruth mereceu muitos aplausos de alguns dos grandes da crítica. Veja alguns exemplos. Segundo Janet Maslin, do New York Times, Afogando Ruth (Editora Globo, 352 páginas, R$ 39,00) é "uma obra de estréia excepcionalmente bem tramada, com um envolvente entendimento da vida de duas irmãs no meio rural de Wisconsin. A autora funde o suspense com inúmeros detalhes do período narrado possibilitando o entendimento das forças que cerceiam as vidas das personagens femininas".Já Paul Gray, do Times Magazine, diz que "esse romance de estréia, hábil e seguro, provoca bem mais do que arrepios e calafrios." Para Maile Meloy, do The New York Times Book Review, "o intenso realismo do cenário do romance adiciona profundidade a uma trama envolvente. Christina Schwarz mantém o suspense com habilidade. Afogando Ruth é uma estréia notável: surpreendente, perturbadora e autêntica."EM DEBATE, A NAÇÃO DOS EXCLUÍDOS. OU MELHOR, DOS INSTRANGEIROS.Um novo livro do professor Cristovam Buarque, ex-governador de Brasília e ex-ministro da Educação. Agora, Os Instrangeiros. O que são os instrangeiros? A grande legião de estrangeiros dentro de seu próprio país de origem: embora nacionais politicamente, são estrangeiros socialmente. São considerados invasores quando constroem suas casas em áreas próximas aos ricos, ou quando ocupam terras improdutivas. Em Os Instrangeiros (Editora Garamond, 184 páginas, R$ 22,00), Cristovam Buarque explica, pela via da economia, da política e, sobretudo, da sensibilidade, o processo de construção das desigualdades sociais no mundo e no Brasil. A chamada exclusão social. O autor vê nessa exclusão das maiorias a origem das tragédias do Brasil contemporâneo: fome, desemprego, violência, escravidão, prostituição infantil, desastres ecológicos. E vai além, ao analisar o fenômeno da pobreza moral, que se expressa na indiferença, na falta de solidariedade, de cidadania e de humanidade por parte de setores expressivos das elites. Para ele, a exclusão não é apenas um problema econômico, mas principalmente, uma questão ética. "Por força de um modelo de crescimento que beneficia uma minoria, a desigualdade cresceu tanto que começa a se transformar em diferença", afirma o economista.NAQUELES ANOS DISTANTES, QUANDO TOMÉ DE SOUSA CHEGOU À BAHIA.O autor, o jornalista Aydano Roriz, é baiano de Juazeiro, mas foi criado em Salvador. Foi lá que nasceu a idéia do livro O Fundador, um romance histórico que conta o trabalho de Tomé de Sousa para construir a cidade, seus acordos políticos com os índios que ocupavam o litoral, seu casamento com uma índia, sua paixão por uma princesa africana feita escrava pelos portugueses, suas saudades de Portugal. Estão também no livro as astúcias de Garcia D?Ávila, que fez do Brasil sua verdadeira pátria e a fonte de sua fortuna. O ano é 1549, o Brasil acabara de ser descoberto. Os portugueses ainda não conheciam todas as riquezas das novas terras. O rei D. João III decide ocupar de forma mais efetiva o vasto continente, e para lá envia Tomé de Sousa. Depois de uma longa viagem marítima, tem início a saga de portugueses, índios e escravos africanos em terras brasileiras. O autor combina ficção e acontecimentos históricos, que resultam num romance (Ediouro, 392 páginas, R$ 42,00) instigante.MAIS UM DOS GRANDES DA ITÁLIA CHEGA ÀS LIVRARIASUma nova coleção está reeditando alguns dos mais notáveis escritores italianos. Os livros da Coleção Letras Italianas procuram apresentar autores pouco conhecidos dos leitores brasileiros, ou obras ainda inéditas em português de escritores reconhecidos, como é o caso deste Dona Mimma, de Luigi Pirandello (Berlendis & Vertecchia, 176 páginas, R$ 26,00). Além das traduções encomendadas a especialistas em língua e literatura italiana, cada volume apresenta um ensaio especialmente preparado para situar a obra e o autor no cenário literário italiano e europeu. As edições foram feitas em papel especial e acabamento refinado e contam com ilustrações de artistas plásticos brasileiros contemporâneos, como as de Maria Alice Gonzales para o livro de Pirandello. Dona Mimma foi publicado originalmente em 1925.UM SELETO TIME DE GÊNIOS, OS MAIORES, ENSINANDO A PENSAR.Em Como Descobrir sua Genialidade, Michel J. Gelb propõe-se a ensinar a pensar. Mas como sabe que a tarefa não é nada fácil, divide-a com um time de gênios. Aliás, o subtítulo do livro (Agir, 400 páginas, R$ 39,00) é exatamente Aprenda a pensar com as dez mentes mais revolucionárias da História. Um time realmente da pesada: Platão, Brunelleschi, Colombo, Copérnico, Elizabeth I, Shakespeare, Jefferson, Darwin, Gandhi e Einstein. Um guia prático, para despertar e treinar nossos vastos e muitas vezes pouco utilizados recursos de inteligência e capacidade. Através de biografias fascinantes e acessíveis, o leitor desenvolverá um relacionamento pessoal com cada gênio e aprenderá como usar seu princípio condutor para enriquecer a qualidade de sua vida. Auto-avaliações pessoais o ajudarão a estimar de que forma cada princípio está funcionando em sua própria vida, seguidas de uma série de exercícios práticos e divertidos para ajudá-lo a desenvolver plenamente cada princípio.

Agencia Estado,

07 de março de 2005 | 16h43

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.