Músicos da Broadway entram em greve

Os músicos que tocam na Broadway entraram em greve à zero hora desta sexta-feira. Eles dizem que os produtores dos espetáculos querem baixar o número mínimo obrigatório de músicos das orquestras. Atualmente, cada musical tem uma orquestra com no mínimo 24 integrantes. Os produtores querem reduzir esse número para sete músicos.Segundo os produtores, as negociações com a Federação Americana de Músicos continuam, apesar de os instrumentistas se declararem em greve. Teoricamente, a questão exige pressa, já que à noite desta sexta-feira haverá apresentações em toda a Broadway. Mas segundo o porta-voz dos produtores, Pat Smith, os 18 musicais que poderiam ser afetados pela greve dos músicos vão levantar as cortinas hoje com ou sem a música ao vivo. Por sugestão da Liga Americana de Teatros, elencos de vários shows da Broadway já vêm ensaiando com música pré-gravada ou gerada por computador. Para o violinista Marshall Coid, responsável pelo solo de violino na versão Broadway de Chicago, a questão não se resume ao número mínimo de músicos. Em um protesto em frente ao Teatro Broadway, onde atualmente está em cartaz La Bohème, ele disse que os produtores ?não vão reduzir os preços dos ingressos, eles só querem se livrar dos músicos para engordar o próprio bolso?. Ele, claro, é contra, mas justifica com uma razão além do emprego: ?teatro é ao vivo, é reativo, ele muda, nunca é o mesmo?.

Agencia Estado,

07 de março de 2003 | 16h44

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.