Músicos cubanos vão oficializar pedido de asilo ao Brasil

Os três músicos cubanos quedesapareceram na semana passada, após apresentações emPernambuco, pedirão asilo político ao governo brasileiro, nestasegunda-feira, tendo recebido um salvo-conduto para permanecerno país mesmo com o visto vencido, informou a Polícia Federal. Os músicos Miguel Angel Costafreda, Juan Alcides Díaz eArodis Verdecia Pompa, integrantes do grupo Los Galanes, devemir acompanhados do secretário nacional de Justiça, Romeu TumaJúnior, à delegacia da Polícia Federal em Recife, na tardedesta segunda, para oficializar o pedido de asilo, disse àReuters por telefone um assessor da PF. Segundo o assessor, o secretário apresentará umsalvo-conduto do Ministério da Justiça que possibilita apermanência do trio no Brasil durante o processo de avaliaçãodo pedido de asilo, já que seus vistos para permanência noBrasil estão vencidos desde sexta-feira. "Os vistos estando vencidos, o papel da Polícia Federalseria notificar e dar um período de oito dias para elesdeixarem o país. Mas eles estariam com um salvo-conduto quegarante a permanência", disse o assessor da PF em Recife. Os músicos, que na semana passada deixaram a pousada ondeestavam hospedados em Pernambuco, onde se apresentaram aconvite de uma entidade do governo cubano, não embarcaram novôo de volta à ilha com o restante da banda. Eles chegaram ao Brasil no início deste mês, e fizeramapresentações em cidades como Recife e Olinda. O governo brasileiro concedeu em setembro refúgio a doisatletas cubanos que abandonaram a delegação do país durante osJogos Pan-Americanos do Rio, em julho. O refúgio concedido ao jogador de handebol Rafael D'AcostaCapote e ao ciclista Michel Fernández García aconteceu após opolêmico caso dos boxeadores Guillermo Rigondeaux e ErislandyLara, que voltaram para Cuba após uma tentativa de deserçãodurante os Jogos. Eles disseram ter se arrependido. (Por Pedro Fonseca e Guido Nejamkis)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.