Musical revê a trajetória do cantor Orlando Silva

Desde o início do ano, o ator Tuca Andrada se divide entre dois sucessos populares. Na telinha é Caique, vilão do bem da novela Da Cor do Pecado, atualmente o maior ibope da Rede Globo. Nos palcos, ele é Orlando Silva, o cantor das multidões, no musical que tem esse título e estréia hoje, para convidados, na Sala Baden Powell, depois de récitas nos subúrbios cariocas. Para viver o criador de Carinhoso, Rosa, Nada Além e Lábios Que Beijei, o ator caracterizou-se como ele, mas não tentou imitá-lo cantando."Se tivesse um terço da voz dele, eu seria cantor", garante Tuca, que se apaixonou pelo personagem há quatro anos, quando vivia Mané Garrincha no musical Crioula, sobre a história de Elza Soares. "Havia uma referência a um encontro dos dois e as possibilidades dramáticas me interessaram, embora eu soubesse pouco sobre Orlando Silva. Pesquisei sua vida, ouvi seus discos e a vontade de encenar uma peça sobre ele só aumentou. Além da quantidade de músicas que gravou, 1.400, ele teve uma vida atribulada. Conheceu o auge do sucesso e do fracasso, mas até hoje é influência forte na música brasileira."Tuca, produtor do musical, encomendou o texto a Fátima Valença e Antônio de Bonis, diretor de Dolores e outros musicais sobre compositores brasileiros (O Bem do Mar, sobre Caymmi, Lamartine para Inglês Ver, etc.). "Não quis entremear sua história com os sucessos. Mostro uma trupe montando uma peça sobre ele, brinco com clichês sobre musicais e levo os atores a discutir passagens de sua vida", adianta o diretor, que estréia como autor.Divisor de águas na música brasileira, Orlando Silva influenciou bossa-novistas, como João Gilberto, tropicalistas, como Caetano Veloso, e novos baianos, como Moraes Moreira, fãs confessos. Morto há mais de 25 anos, o cantor passou a última década da vida no ostracismo, mas emociona até hoje. Tuca conta que, durante as apresentações nos subúrbios, precisou recorrer à técnica quando cantava seus sucessos e o público fazia coro, como se fossem hits do momento. Ele sabe que seu sucesso como galã na televisão traz o público, mas credita a Orlando Silva a resposta da platéia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.