Musical infantil revê tradições lúdicas

Nem os mais terríveis monstros de videogames são capazes de tornar obsoletas as cantigas de roda, tradicionais brincadeiras infantis. É o que acreditam as crianças Zico, Tuca, Joca e Pitoco, que se reúnem em um quintal para se divertirem com jogos que não precisam de brinquedos - apenas vontade de brincar. É o resgate de tradições lúdicas que trata o espetáculo musical infantil Brincantando, do Grupo Luz e Ribalta, agora instalado no Teatro Cacilda Becker, depois de um período de dez apresentações em espaços alternativos."Queremos recuperar o mundo mágico da criança, cuja poesia é revelada no brincar", comenta a atriz Tereza Convá, que representa a única menina do grupo. "Os objetos reais, que estão espalhados nos quintais, mudam de significado e liberam a fantasia." O objetivo do grupo é o de transformar o palco em um quintal, centro para brincadeiras. Assim, a um simples grito de "quem quer brincar de pega-ladrão põe o dedo aqui", os atores recuperam para o público uma forma mais pura de divertimento. Em poucos minutos, eles pulam amarelinha, armam um pega-pega, passam o anel, ao mesmo tempo em que relembram cantigas como Atirei o Pau no Gato, Cravo e a Rosa e Ciranda.A resposta das crianças é imediata - em apresentações realizadas em diversas unidades do Sesc (Interlagos, Pompéia e Ipiranga), o grupo observou uma mesma movimentação na platéia, com alguns meninos dispostos até a brincar dentro do próprio teatro. "A criança sente uma necessidade de usar o corpo em sua diversão e não ficar apenas em frente de um aparelho", comenta Tereza.A experiência serviu também para nortear a direção de Antônio de Andrade. Segundo ele, tais apresentações foram decisivas para afinar o espetáculo. Andrade, que dirigiu Sopa de Pedra e Os Turrões, inspirados na obra de Tatiana Belinky, criou marcações equilibradas para os atores, a fim de sincronizar com o roteiro e a direção musical do maestro César Assolant. As canções, executadas ao vivo pelos próprios atores, foram escolhidas a partir de uma ampla pesquisa sobre cantigas e o imaginário infantil, realizados pelo próprio Assolant.Brincantando. Sábado e domingo, às 16 horas. R$ 6,00. Teatro Cacilda Becker. Rua Tito, 295, tel. 3864-4513. Até 29/4.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.