Musical celebra cultura negra no Rio

O Dia Nacional da Consciência Negra, 20 de novembro, começou a ser comemorado no Rio na sexta-feira, no Centro Cultural José Bonifácio. A maior atração da festa é o musical de Nei Lopes, O Rancho da Sereia, que conta a história do samba e do carnaval surgidos no fim do século passado na zona portuária da cidade. Sobre essa mesma região, que abrange os bairros da Gamboa e Saúde, haverá uma exposição fotográfica com casarões históricos e outra, com obras em cerâmica, homenageando personagens importantes da cultura negra no Brasil. Há dois anos Nei Lopes participa da Festa da Cultura Negra no Centro Cultural José Bonifácio. Ano passado, ele escreveu o musical Clementina, sobre a vida da cantora Clementina de Jesus, encenado no Centro. Para as comemorações do ano 2000, o cantor, compositor e "historiador malandro", como ele se define, preparou uma homenagem à região da Gamboa e da Saúde, berço do samba e do carnaval carioca. Em O Rancho da Sereia, Nei elegeu alguns nomes referenciais que residiram na região, como Machado de Assis, João da Baiana e Dolores Duran, para personagens da trama.É a primeira vez que Nei Lopes aborda a temática da música e do Carnaval sob um tratamento ficcional. Caminhando pelas ruas da Gamboa e da Saúde, o autor foi unindo história e emoção para contar as raízes da cultura negra. Composições inéditas do sambista e alguns clássicos do samba carioca serão interpretados ao vivo pelo grupo Dobrando a Esquina no espetáculo que tem direção de Emmanuel Santos.Além do musical, encenado até 26 de novembro, duas exposições foram montadas no centro cultural. Ícones da Ancestralidade Brasileira reúne representações de grandes personalidades negras que destacaram-se ao logo dos 500 anos de Brasil num total de 15 peças de modelagem em cerâmica. Memórias da Zona Portuária é uma mostra com 50 fotos dos alunos do curso de fotografia ministrado no Centro Cultural José Bonifácio. São imagens dos casarões históricos e do cotidiano da região da Gamboa, Saúde e Santo Cristo que, em muitos momentos, revelam imagens da cultura afro-brasileira. As exposições ficam em cartaz até dia 28 de novembro.Festa da Cultura Negra- Centro Cultural José Bonifácio, Rua Pedro Ernesto, 80, Gamboa. Tels.: 233 -7754 e 253- 6255. Entrada Franca.

Agencia Estado,

20 de novembro de 2000 | 16h41

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.