Musicais da Broadway enfrentam baixas audiências

A temporada de musicais da Broadway nãoé mais a mesma: várias apresentações estão a ponto de sair de cartaz ou já deixaramde ser exibidas, entre elas a do vampiro Lestat, com música deElton John.Lestat encerra sua temporada neste domingo, após somente 39exibições regulares e 33 de pré-estréia, devido ao pequeno públicono Palace Theater de Manhattan. Na semana passada, o espetáculo arrecadou parcos US$ 448 mil e ocupou apenas 53% das cadeiras do teatro, um resultado decepcionante para quem esperava que a produção de US$ 12 milhões fosse um sucesso. Os produtores de Lestat apostavam no êxito do espetáculo, apoiado pelo gigante da indústria do entretenimento Warner Bros, assim como pela música do lendário astro britânico Elton John e deAnne Rice, autora do romance original O Vampiro Lestat .O musical conta, além disso, com as letras de Bernie Taupin e aatuação principal de Hugh Panaro, conhecido por sua atuação noaclamado musical O Fantasma da Ópera. Mas, após ter receber duras críticas, atrair poucos espectadorese obter duas indicações ao prêmio Tony -o "Oscar da Broadway" -, o espetáculo do vampiro recebeuuma ducha de água "benta" e fria.De fato, as candidaturas aos Tony, cuja cerimônia de premiação acontece em 11 de junho, foramdecisivas para que alguns musicais dessem adeus aos palcos de NovaYork. Muitos deles nem chegaram a somar 100 apresentações. Os produtores costumam esperar até o anúncio das indicações doTony, confiando que uma eventual candidatura dê um impulso final àbilheteria. Este ano, inúmeras obras não tiveram a aprovaçãonem do público nem do júri do Tony. Ring of Fire, por exemplo, celebra a lenda do astro countryJohnny Cash. Dois meses e 57 espetáculos depois, o show terminou.Outro musical, Festen, um drama familiar baseado no filme cultdinamarquês Festa de Família, de Thomas Vinterberg, fez apenas 49apresentações regulares e 20 de pré-estréia. Já Barefoot in the Park, recriação para os palcos da fita de1967 de Gene Saks, encerrou sua temporada no último fim de semanaapós receber duras críticas e depois de 108 shows, mesmo tendo aassinatura de Neil Simon, considerado um dos maiores dramaturgos dosEstados Unidos.Outros musicais de vida curta foram The Caine MutinyCourt-Martial, com 17 apresentações, e Well, uma produção de US$2 milhões, que se apresentou 53 vezes no Longacre Theater e queocupou menos de 40% das cadeiras. No dia 18 de junho, Three Days of Rain, peça estrelada pelahollywoodiana Julia Roberts, será apresentada pela última vez. Aatriz não é candidata ao Tony, mas será apresentadora da premiação.Na lista das produções com data certa para sair de cartaz estão,além disso, Awake and Sing! (25 de junho), Doubt (2 de julho),Shining City (16 de julho), Faith Healer (13 de agosto) e The History Boys (3 de setembro). Todas essas obras, claro, darão lugar a novos shows, emboraalguns deles não sejam na verdade tão novos assim.Os mais esperados, considerados futuros sucessos, são OsMiseráveis - ganhador de 12 prêmios no Tony, incluindo melhor musica, teve 6.680 apresentações em 16 anos - e A ChorusLine, com 6.137 shows em sua montagem original e ganhador de novePrêmios Tony em 1975. Como se vê, na falta novidades convincentes, nada como trazer devoltar espetáculos consagrados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.