'Música para Ninar Dinossauros' de Mário Bortolotto

Peça é sobre três quarentões que passam em revista o que foi feito de seus sonhos de juventude

23 Abril 2010 | 06h00

Bortolotto (esq.), com Paulo de Tharso e Lourenço Mutarelli. Foto: Divulgação

 

GUILHERME CONTE - SÃO PAULO - A obra de Mário Bortolotto tem sido associada à violência desde que ele foi baleado em um assalto na Praça Roosevelt, ano passado. Não deveria. Música para Ninar Dinossauros, que estreia nesta sexta, 24, com o dramaturgo em cena, representa muito melhor o seu universo: três quarentões passando em revista o que foi feito de seus sonhos de juventude (as cenas se alternam entre passado e presente).

 

Incapazes de manter relações ‘convencionais’ com mulheres ‘convencionais’, eles se envolvem com garotas de programa. O constante embate contra a solidão e a revisão de antigos ideais, certezas e planos - de uma geração nascida na década de 60 -, são uma tradução mais precisa do imaginário de Bortolotto. Ele trata de um tipo mais particular de violência.

 

Música para Ninar Dinossauros - Espaço Parlapatões (96 lug.). Pça. Franklin Roosevelt, 158, Centro, 3258-4449.  Sáb., 21h; dom., 20h. 60 min. 14 anos. Preço: R$ 30.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.