Música e internet para satirizar Saddam

Com a opinião internacional acreditando que o pior da crise entre os EstadosUnidos e o Iraque já passou, um website que esculhamba oex-ministro iraquiano da informação Mohammed Saeed al-Sahhaf vira hitentre os americanos. Enquanto isso, a coalisão estaria usandouma nova arma para desmoralizar Saddam Hussein: um rap em árabee inglês que satiriza o ex-ditador vem sendo transmitido em umarádio de Badgá.O web site do momento tem acesso limitado, tamanho o fluxo devisitantes nos últimos dias. O endereçoWeLoveTheIraqiInformationMinister.com reúne uma seleção de"pérolas" pronunciadas pelo político otimista antes e durantea invasão ao Iraque. O público vem se divertindo ao relembrarfrases como: "Empurraremos esses pilantras de volta para ospântanos"!Outros pronunciamentos que quando traduzidos mais parecem saídosde personagens malvados de um episódio de Scooby-Doo são:"Deus vai torrar seus estômagos no inferno, pelas mãos dosiraquianos"; "Vamos recebê-los com tiros e sapatos"; "Elesestão se suicidando em Bagdá; vamos encorajá-los a cometer maissuicídios rapidamente." O site vende camisetas, canecas e até avental para churrasco com as frases de Al-Sahhaf.A outra dose de humor seria, na verdade, mais uma tática dodepartamento de operações psicológicas dos Estados Unidos.Trata-se de uma versão de Gangsta Paradise, de Coolio (queera originalmente beseada em uma música de Stevie Wonder dosanos 70), em que Saddam, humilhado, pede asilo. A música tem trechos em árabe e em inglês e, de acordo com a BBC, está sendo transmitida por uma emissora de rádio de Tikrit quefoi tomada pela CIA e está sendo usada pelo órgão PsychologicalOperations (PsyOp) desde fevereiro. "Meus dias acabaram e voumorrer ? tudo o que quero é batata frita", diz a canção."Fumando maconha e ficando louco, sei que o Diabo está do meulado."A música insinua que Saddam Hussein estaria procurando asilo em algumpaís e termina em estilo lavagem cerebral, com a repetição dafrase "nós odiamos você". Não há informações sobre como amúsica foi gravada.

Agencia Estado,

14 de abril de 2003 | 16h35

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.