Museu sofre trote com suposto desenho pré-histórico

A última vítima do "brincalhão da arte" mais famoso do Reino Unido, um homem que colocou peças falsas nas galerias mais prestigiadas, foi o Museu Britânico, que exibiu a imagem de um homem das cavernas empurrando um carrinho de supermercado.Apesar da roda ter sido inventada na Mesopotâmia há 5.500 anos e o carrinho de compras nos EUA em 1937, a galeria de arte romana do conhecido museu londrino expôs durante vários dias uma pedra pintada supostamente por um homem primitivo e representava um cavernícola empurrando este moderno quebra-galho.Segundo revela hoje o diário britânico The Daily Telegraph, a peça falsa estava pendurada em uma das paredes do museu e em seu verso, o brincalhão escreveu: "Homem primitivo, caminho do supermercado".A fraude foi revelada em sua página de internet pelo próprio brincalhão, um indivíduo chamado Banksy que nos últimos anos colocou peças falsas nas galerias de alguns dos museus mais famosos do mundo, entre elas a Tate Britain, de Londres.Banksy assegurava na internet que a pedra do homem primitivo estava no Museu Britânico há algum tempo e que se comprometera a presentear uma de suas pinturas como prêmio a primeira pessoa que se fotografasse junto a essa peça.Após este alerta na internet, os responsáveis do museu encontraram a peça pendurada na sala 41 de suas galerias e reconheceram desconhecer há quanto tempo estava exposta.Banksy, a quem a imprensa identifica como Robert Banks, de mais ou menos 30 anos e residente em Bristol (sul da Inglaterra), tem várias ordens de detenção por fraude, mas ele se define como um artista do "grafite".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.