Museu nega recuperar obra de Caravaggio roubada na Ucrânia

Jornal afirmou que 'Prisão de Cristo ou o Beijo de Judas' e criminoso teriam sido encontrados pela polícia

Efe,

07 de dezembro de 2008 | 12h04

O Museu de Arte Ocidental e Oriental de Odessa, na Ucrânia, desmentiu neste domingo, 7, as informações divulgadas por alguns meios de comunicação do país sobre a recuperação do quadro de Caravaggio "Prisão de Cristo ou o Beijo de Judas", furtado de uma de suas galerias no fim de julho. No sábado, o semanário "Zerkalo Nedeli" havia informado que a Polícia ucraniana tinha encontrado tanto o quadro como o corpo do suposto organizador do furto, que estaria sendo investigado por agentes secretos há meses. "Adoraríamos que fosse verdade, mas nem nós nem o investigador-chefe do caso temos informações", disse a especialista e colaboradora do museu Tatiana Balanovskaya, que disse que tanto a instituição como as autoridades souberam da notícia da recuperação da obra pela imprensa.  O Ministério do Interior também desmentiu as informações sobre a recuperação do óleo sobre tela. Além disso, declarou que uma pista falsa havia sido seguida, de acordo com a agência "Itar-Tass". Aparentemente, em 31 de julho, dia em que o quadro foi furtado, também desapareceu um antigo colaborador do Museu de Odessa e conhecido colecionador de arte da cidade de Jarkov, Nikolai Ponomarenko, o que teria levado os investigadores a uma pista falsa. Pouco tempo depois, a Polícia de Jarkov encontrou o corpo do colecionador e ainda deteve seu assassino, um jovem de 28 anos. Porém, em nenhum momento achou o quadro furtado.  O óleo sobre tela "Prisão de Cristo ou o Beijo de Judas", de 134 por 172,5 centímetros, foi pintado por Caravaggio entre 1573 e 1602, embora algumas fontes digam que a obra date do biênio 1598-1599. O quadro, que mostra a captura de Jesus após a noite de oração no Jardim das Oliveiras, traz Cristo e Judas unidos pelo "beijo da traição" e rodeados por discípulos e soldados romanos. No começo do século passado, o óleo foi cedido à Escola de Arte de Odessa, e, na década de 20, após a revolução bolchevique, repassado à Galeria de Arte Antiga, que mais tarde recebeu o nome de Museu de Arte Ocidental e Oriental.

Tudo o que sabemos sobre:
CaravaggioUcrânia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.