Museu em Viena expõe obras inéditas de Andy Warhol

Os Beatles, Mick Jagger, Michael Jackson e um jovem Miguel Bosé são algumas das estrelas da cultura pop retratados pelo lápis do artista plástico americano Andy Warhol que aparecem em uma exposição que foi inaugurada no Museu Albertina, na quinta-feira, em Viena. A exposição, intitulada Popstars, exibe 60 desenhos e colagens do pai da pop art - a metade dos trabalhos está sendo mostrada pela primeira vez ao público. As obras expostas por Warhol (1928-1987) foram elaboradas entre 1975 e 1986 e a exposição pôde ser organizada graças à colaboração da Andy Warhol Foundation for the Visual Art, de Nova York. Celebridades são retratadas Com estes retratos se "encena a celebridade" e se parte em "busca de modelos" da sociedade de consumo, na qual a imagem se torna mais um produto, disse o diretor do Museu Albertina, Klaus Albrecht Schroder. Warhol utiliza seus retratos como um bisturi para revelar a "personalidade do retratado" e se transforma assim no "observador do interior da superficialidade", acrescentou Schroder. Na exposição também é apresentado o método de trabalho do artista nova-iorquino: ele tirava uma foto instantânea e com um projetor capturava a silhueta e os principais traços do fotografado com um lápis. Uma declaração do filósofo alemão Friedrich Nietzsche posicionada no início da exposição resume bem o trabalho de Warhol: "Só o superficial tem profundidade". Traços simples e colagens coloridas retratam artistas como Liza Minelli, Charles Aznavour, Aretha Franklin, Keith Richards e Gérard Depardieu. Além disso, é possível conferir uma ilustração que mais tarde virou a capa do disco Love you Live, dos Rolling Stones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.