Museu de Viena permite entrada de pessoas nuas

O prestigiado Museu Leopold de Viena permitiu hoje que seus visitantes percorressem suas galerias sem roupas. Dezenas de pessoas nuas ou vestidas com trajes mínimos andaram pelo museu atraídas pela oferta de ingresso gratuito para a nova exposição A Verdade Nua, uma mostra de arte erótica do começo dos anos 1900, desde que comparecessem com traje de banho ou sem roupas.Com a onda de calor que afeta a maior parte da Europa e com temperaturas de mais de 30 graus em Viena, o museu pensou que seu espaço com ar condicionado seria um atrativo."Descobrimos que um corpo nu é tão bonito como um vestido", disse Elisabeth Leopold, que fundou o museu junto com seu marido Rudolf.Peter Weinhaeupl, diretor comercial do museu, disse que o objetivo era ajudar as pessoas a suportarem o calor e ao mesmo tempo criar um mini escândalo que recordasse a forma como os trabalhos de Gustav Klimt, Egon Schiele, Oskar Kokoschka e outros artistas chocaram o público em sua época."Queríamos que as pessoas tivessem a oportunidade de se refrescarem e deixarem sua nudez às vistas", disse. "É em parte uma experiência". A maioria dos que se apresentaram com pouca roupa hoje optou por trajes de banho, mas alguns preferiram mostrar mais. Entre eles estava Bettina Huth, uma alemã de Stuttgart, de 52 anos, que foi à mostra vestindo apenas sandálias e calcinhas pretas.

Agencia Estado,

29 de julho de 2005 | 13h08

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.