Museu de NY expõe imagem ruim dos EUA

A imagem ruim que os Estados Unidos têmno resto do mundo depois da guerra no Iraque e outras ações depolítica externa do governo George W. Bush podem ser vistaspelos nova-iorquinos nos próximos meses. Está em cartaz no museuWhitney, em Manhattan, a exposição The American Effect, naqual artistas de todo o mundo dão suas opiniões sobre o Tio Sam.O resultado é muita polêmica porque a maioria dos trabalhos émuito negativa em relação à América.O próprio presidente aparece em boa parte dos trabalhos, nasmais diversas representações: como palhaço, caubói e atéPríncipe das Trevas. Saira Wasim, do Paquistão, usa a técnica depintura em miniatura Mughal para mostrar um abraço entre otexano, o presidente paquistanês Pervez Musharraf, RonaldMcDonald e o Tio Sam, todos de palhaço. Outra polêmica é um retrato do ex-prefeito Rudolph Giuliani,herói pela maneira como lidou com os atentados terroristasde 11 de setembro de 2001. O político é lembrado, no entanto,por outro episódio: sua tentativa de censurar um trabalho doartista Chris Ofili quatro anos atrás no Brooklyn Museum ofArt.O então prefeito fez de tudo para evitar a exposição deMadonna and Child, uma pintura que mostra uma Virgem Mariafeita com excrementos de elefante. Desta vez, o chinês ZhouTiehai usa uma fotografia de estadista do político (capa darevista Time na qual ele foi eleito Homem do Ano), no estilode Mao Tse-Tung e Vladimir Lênin, acompanhada de dois pequenosmontes de cocô de elefante. O trabalho tem o título deLibertas, Dei Te Servent! (alguma coisa como Liberdade,Que Os Deuses Te Protejam!). Um dos destaques da exposição é uma instalação do artista GillesBarbier, natural da República de Vanuatu, um arquipélago no suldo Pacífico. Nursing Home (asilo) mostra um grupo desuper-heróis de cêra em tamanho natural. Capitão América apareceem uma maca e toma soro de maneira intravenosa. Mulher Maravilha muito enrugada, dá uma força para ele. Super-Homem está deandador e parece muito cansado, Hulk assiste à TV sentado em umacadeira-de-rodas e por aí vai.Outras obras polêmicas são um ataque aéreo japonês a uma NovaYork em chamas e a foto de um soldado que aponta uma arma aomenino cubano Elian González em uma moldura de Mickey e MinnieMouse. Controvérsias de lado, a arte exibida na mostra é muitointeressante e tem tudo para cair nas graças do público. A exposição tem trabalhos de 45 artistas e não há nada que tenhauma imagem muito positiva dos Estados Unidos. Em relação à artecontemporânea, sempre cheia de polêmica e atitude, ninguémpoderia esperar uma mostra diferente. The American Effectfica em cartaz no Whitney Museum of American Art até 12 deoutubro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.