Museu de ciência em SP deve sair do papel em 2001

Em 2001, a principal meta do Secretário de Ciência e Tecnologia do Estado de São Paulo, José Aníbal (PSDB), é dar início à construção do primeiro museu de Ciência e Tecnologia da cidade de São Paulo. Para tanto, pretende contar com apoio do governador Mário Covas (PSDB), que já se mostrou simpático ao projeto, de instituições privadas e da Fundação Vitae, que também já revelou interesse.O secretário acredita que até o final de fevereiro receberá carta branca para dar início às obras de construção do novo espaço cultural no Parque Villa-Lobos. A manutenção, equipagem, administração e monitoria do novo espaço cultural ficará sob responsabilidade da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), vinculada à Secretaria de Ciência e Tecnologia."É antiga a idéia da criação desse museu e o governador gosta muito dela", revela Aníbal. Quando questionado sobre as implicações sociais do projeto, o secretário explica: "O museu terá grande responsabilidade pedagógica. Foi por isso escolhemos o Villa-Lobos, que é um espaço expressivo para os jovens e adolescentes, o público que queremos atingir". Ele acredita que o museu será um grande aliado da rede pública de educação. "Será interativo, dinâmico, com bastante material de vídeo e imagens", prevê.Aníbal afirma ter subtraído de diversos museus que visitou ao redor do mundo a inspiração necessária. Mas não indica nomes. "Na hora de construir a dinâmica do museu vamos analisar propostas de outros museus do mundo", diz. "O que queremos é criar uma sinergia muito grande entre público e o material que será colocado à disposição." Além do projeto do novo museu, o secretário anunciou que a Secretaria de Ciência e Tecnologia organiza para abril, no Pavilhão Manoel da Nóbrega, no Parque do Ibirapuera, uma mostra sobre o projeto Genoma.

Agencia Estado,

04 de janeiro de 2001 | 17h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.