Museu de Berlim restaura artefatos destruídos na 2a Guerra

Por Eric Kelsey

REUTERS

28 de janeiro de 2011 | 17h58

BERLIM (Reuters Life!) - O museu Pergamon, de Berlim, apresentou na sexta-feira objetos arqueológicos restaurados depois de serem destruídos em bombardeios na Segunda Guerra Mundial.

Ao longo de nove anos, os arqueólogos remontaram 25 mil pedaços de material pertencente a 40 estátuas gigantes, retiradas de um templo no antigo assentamento de Tell Halaf, no atual norte da Síria.

"Milhares de fragmentos tiveram de ser minuciosamente colados com epóxi", disse à Reuters Nadja Cholidis, chefe do projeto.

Os especialistas usaram fotos históricas para identificar os fragmentos e reconstruir as esculturas e objetos, de 3.000 anos de idade. Cholidis disse que é provavelmente a maior restauração desse tipo já feita por um museu.

As imagens de esfinges, deuses e leões foram encontradas há um século pelo diplomata e aventureiro alemão barão Max von Oppenheim, e causaram sensação ao chegarem à Europa. O barão as expôs em um museu particular, em Berlim, entre 1930 e novembro de 1943, quando um bombardeio aliado destruiu o local. O incêndio assou os artefatos de basalto, e a água usada para debelar as chamas fez com que o material se estilhaçasse em milhares de pedaços.

Tudo o que sabemos sobre:
ARTEBERLIMMUSEU*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.