VALERIA GONÇALVEZ/ESTADÃO
VALERIA GONÇALVEZ/ESTADÃO

Museu da Língua Portuguesa já concluiu etapas de restauro, conservação e reconstrução

Previsão de encerramento das obras na entidade no centro de São Paulo é dezembro de 2019

O Estado de S. Paulo

04 Setembro 2018 | 19h19

O Museu da Língua Portuguesa — incendiado em dezembro de 2015 — já concluiu as etapas de restauro das fachadas e esquadrias, de conservação e de reconstrução, segundo informações da própria instituição. Atualmente, está em curso a licitação para as obras de interiores, que têm previsão de início ainda em setembro. Na sequência, terá início a instalação da museografia. A previsão de encerramento das obras é dezembro de 2019.

Segundo a entidade, ligada à Secretaria de Cultura do Estado e à Fundação Roberto Marinho, o objetivo para a reconstrução é obter selos de certificação estrangeiros para construções sustentáveis. Para isso, estão previstas redução do consumo de energia, coleta de água de chuva para irrigação, gestão de resíduos durante a obra e o uso de madeira certificada.

Cerca de 85% da madeira utilizada no restauro de mais de 300 esquadrias foi reaproveitada do próprio edifício.

A marcenaria do primeiro andar permitiu que o material parcialmente carbonizado — peroba do campo rosa e amarela — fosse restaurado e reutilizado.

A cobertura foi reconstruída com madeiras certificadas que resistem por mais tempo a incêndios, e placas de zinco, conforme características da edificação original. Por ter resistido ao fogo, parte da madeira original da cobertura pôde ser reutilizada nas esquadrias que precisaram ser refeitas, segundo as informações do Museu da Língua Portuguesa.

A reconstrução também terá prevenção maior contra incêndios. Entre as novas medidas, está um sistema de chuveiros automáticos (sprinklers), com sensores que detectam o aumento da temperatura ambiente e acionam a abertura dos bicos para combate contra o fogo, ainda em seu estágio inicial.

A reforma custará em torno de R$ 60 milhões, parte paga pelo seguro contra incêndio, parte captada por meio da Lei Rouanet.

Em dez anos de funcionamento, o Museu da Língua Portuguesa recebeu cerca de 4 milhões de visitantes.

O IDBrasil é a organização social responsável pela gestão do museu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.