Foto Frederic Bartier/Netflix
Foto Frederic Bartier/Netflix

'Munique: No Limite da Guerra': a vez de Jeremy Irons liderar a Inglaterra

Conheça mais sobre o novo longa da Netflix e as novas temporadas das séries 'Ozark', 'Operação Ecstasy' e Paciente 63

Pedro Venceslau, O Estado de S.Paulo

07 de fevereiro de 2022 | 03h00

Dois gigantes do cinema, Gary Oldman e Meryl Streep, interpretaram os ex-primeiros-ministros britânicos Winston Churchill e Margaret Thatcher nos premiados filmes O Destino de Uma Nação e A Dama de Ferro, respectivamente. Os políticos também tiveram lugar de destaque na série The Crown, quando foram encarnados por John Lithgow e Gillian Anderson. 

Incorporado recentemente ao catálogo da Netflix, o longa Munique: No Limite da Guerra dá o devido tamanho a outro líder que foi determinante na história política inglesa e europeia – mas que, até aqui, vinha sendo relegado ao papel de coadjuvante em filmes e séries: Neville Chamberlain, agora interpretado por Jeremy Irons.

Trama

Com um legado controverso entre historiadores, o primeiro-ministro britânico que assinou com Hitler, Mussolini e Daladier o Acordo de Munique em 1938 é interpretado por Jeremy Irons. O auge da trama se desenvolve justamente nos bastidores do encontro entre os quatro líderes.

Ficção

O gancho dramático é ficcional: dois ex-colegas de faculdade, um alemão e outro inglês, se encontram em posições de destaque nos primeiros escalões da Inglaterra e da Alemanha no momento do acordo e fazem de tudo para evitar que o documento seja assinado. O filme rejeita a sina de covarde que perseguiu Neville e dá a ele o crédito por ter conseguido adiar a Segunda Guerra Mundial até que os países aliados tivessem condições de enfrentar os alemães. 

Sedução populista

Um dos pontos fortes de Munique: No Limite da Guerra é mostrar como o discurso nacionalista de Hitler seduziu uma geração de jovens que se encantaram com o líder “autêntico” e que prometia devolver a autoestima ao país. 

Série para ouvir

Chega ao Spotify, dia 8, a segunda temporada da audiossérie de ficção científica Paciente 63, com Seu Jorge e Mel Lisboa. A primeira temporada ganhou o Prêmio APCA de Melhor Podcast de 2021.  Paciente 63 é uma adaptação de Caso 63, criada pelo escritor e roteirista chileno Julio Rojas. Trata-se do primeiro conteúdo original do Spotify de língua não inglesa adaptado em diversos idiomas e ele se tornou o podcast de ficção mais popular no serviço na América Latina.

'Undercover'

A terceira temporada da série belga Operação Ecstasy (ou Undercover, no título original) chegou ao cardápio Netflix depois do lançamento do spin off Ferry, que volta no tempo para contar o começo da carreira do carismático traficante. O roteiro faz contorcionismos para unir os protagonistas, mas consegue manter o nível e a tensão das temporadas anteriores. 

'Ozark'

Finalmente a Netflix entregou a quarta temporada de Ozark, série que estreou em 2017. A trama, dirigida por Jason Bateman acompanha a roda-viva de emoções da família Marty e Wendy Byrde, que muda para uma pequena  cidade para lavar dinheiro para um cartel de drogas.

 

Tudo o que sabemos sobre:
streamingsérie e seriado

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.