Mundus Admirabilis e outras obras públicas

Paraler, que será executada na calçada da Biblioteca Mário de Andrade, integra vários projetos de obras em espaços públicos que Regina Silveira realizará nos próximos dois anos. Nascida em Porto Alegre e residente em São Paulo, ela acaba de voltar da Polônia, onde recriou uma de suas mais potentes instalações, Mundus Admirabilis, para a atual edição da Mediations Biennale em Pozna. Nesse trabalho, efêmero, é como se as paredes estivessem contaminadas por insetos agigantados, repugnantes e sedutores, criados em vinil adesivado negro.

O Estado de S.Paulo

26 de setembro de 2012 | 03h42

"Meu trabalho tem se dado na relação com a arquitetura", diz Regina Silveira, de 73 anos. É um sonho para ela concretizar agora, na Biblioteca Mário de Andrade, uma obra de caráter permanente após o episódio no concurso de Nova York. Mais ainda, a artista conta que já está programada para 2013 a realização de um trabalho grandioso para o Museo Amparo (México) e intervenções em Miami e na Geórgia (EUA). Entre os dias 16 e 20 de outubro ela participa da mostra Encontros de Arte e Gastronomia no MAM de São Paulo, quando fará projeção de um teatro de sombras sobre a cozinha de Tsuyoshi Murakami. / C.M.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.