Mundo Pop vira inspiração para musicais no teatro

O sucesso de Mamma Mia nos dois lados do Atlântico abriu um novo caminho para o mercado dosmusicais no teatro. O mundo pop vira inspiração para novos espetáculos, que usam músicas conhecidas do grande público para embalar histórias "costuradas" a partir de letras existentes. We Will Rock You, com os hits do Queen; Taboo, inspirado pelo trabalho de Boy George; Closer to Heaven, com músicas do Pet Shop Boys; e uma versão de Submarino Amarelo são alguns dos exemplos da transição. Até Moulin Rouge, que tem sucessos de várias épocas, deve virar uma atração da Broadway. Mamma Mia, o musical inspirado nas músicas do Abba, virou sucesso em Londres e atualmente tem seções lotadas também em Nova York, Toronto e Melbourne, além de contar com uma trupe itinerante pelos Estados Unidos. A fórmula de usar mais de 20 canções conhecidas do grupo sueco dos anos 70 como base para uma história açucarada parecia simples demais para dar certo. Hoje,muitos analistas da indústria apostam que o espetáculo pode virar um clássico na linhagem de Cats.A fórmula parece ser perfeita para bandas que não estão mais na ativa (ou perderam seu apelo original), mas que ainda têm catálogos com várias músicas de sucesso. O Queen, que encerrousua carreira (a não ser por uma série de tributos) quando o vocalista Freddie Mercury morreu em conseqüência da aids, em 1990, parece uma escolha perfeita. O único segredo é conseguircontar uma história por meio das músicas - sem repetir a trajetória do grupo. We Will Rock You, que estréia em Londres em maio, foi desenvolvido por Ben Elton, responsável pelo bem-sucedido espetáculo The Beautiful Game, em parceria com o guitarrista do Queen, Brian May. A história é ambientada no futuro e aproveita todos os grandes sucessos da banda.Boy George, que conseguiu espremer o legado do Culture Clube há três anos em uma onda de revival dos anos 80, vai mais uma vez aproveitar hits como Karma Kamaleon e Do You Really Wanna Hurt Me. Taboo, que estréia em Londres em janeiro, promete "capturar a essência dos anos 80". De acordo com o cantor, que atualmente tem uma bem-sucedida carreira de DJ, o espetáculo é sobre "a dificuldade de se integrar à sociedade". "Queria fazer este musical porque até hoje muita gente chega para mim e diz que a infância deles foi igual à minha", disse ele. Oespetáculo vai se basear parcialmente na biografia que lançou em 1994, Take Like a Man.O maior atrativo devem ser os sósias de figuras conhecidas da época. Uma audição realizada há poucos meses atraiu centenas de cópias de Boy George. O vencedor foi o desconhecido Ewan Morton,enquanto o lendário clubber e estilista Leigh Bowery vai ser vivido por George Dawes, conhecido na Inglaterra pela série de TV Shooting Stars.O Pet Shop Boys não aproveitou seus sucessos antigos, mas usou faixas que aparecem em seu último álbum, Nightlife, de 1999,para o musical Closer to Heaven, que acaba de encerrar uma bem-sucedida temporada em Londres - e que segue em turnê mundial no ano que vem. A história de amor entre dois homens foitotalmente concebida por Neil Tennant e Chris Lowe e ganhou uma produção similar às das turnês da dupla, conhecidas por suas produções teatrais.Até os Beatles devem ir parar nos palcos em 2002, em um projeto bem ambicioso. Representantes de Paul McCartney, George Harrison e Ringo Starr estão em negociações com a trupe do Cirque duSoleil para a montagem de um espetáculo baseado no desenho animado psicodélico Submarino Amarelo. O show deve ter acrobatas e palhaços ao som de músicas do período psicodélicodos Beatles. As negociações são complicadas e têm ido devagar, porque envolvem também Yoko Ono (dona de metade do patrimônio de John Lennon) e Michael Jackson, que tem parte do catálogo decanções dos Beatles em parceria com a Sony/ATVMusic.Baz Luhrman também anunciou que tem esperanças de levar o espírito pop de Moulin Rouge para aBroadway. O australiano, que vai passar uma longa temporada em Nova York para desenvolver um outro espetáculo teatral, disse que espera transformar o filme em uma peça "em dois anos". De acordo com ele, Nicole Kidman e Ewan McGregor poderiam reprisar seus papéis na história. "Acho que eles gostariam, mas não sei, já que até lá, provavelmente, todos nós estaremos cheios deMoulin Rouge", brincou ele. "De qualquer maneira, teríamos que ter vários elencos, para as diferentes produções. Mas acho que Ewan e Nicole seriam maravilhosos no teatro."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.