Mundo mágico dos bonecos invade a cidade de SP

O festival "Bonecos doMundo" vai invadir o Teatro Popular do Sesi, a AvenidaPaulista, as ruas do centro da capital paulista e a Praça da Pazdo Parque do Ibirapuera, que volta à ativa após cerca de um anofechada para eventos noturnos, a partir desta terça-feira. Tudo de graça.No festival, todos os tipos de bonecos terão vez: deteatro de sombras (Tenj, da Rússia) a bonecos em miniaturamanipulados com varinhas (Cia. Gente Falante com o CircoMinimal), de marionetes com fios de nylon a fantoches, detíteres formados a partir de partes do corpo aos famososbonecões de Olinda - que se apresentarão ao som de marchinhas ecanções paulistas na sexta-feira de manhã na Avenida Paulista,seguindo na parte da tarde para as ruas do Centro, a partir doTeatro Municipal. "O Festival vem em boa hora, logo após esse vácuodeixado pelo Cirque du Soleil, onde todos gostariam de ir, masmuito poucos têm acesso. É uma alternativa de alto nível e queninguém terá de pagar por ela", diz a pernambucana Lina Rosa,idealizadora do evento. Nesta 3ª edição, o festival conta com aparticipação de 12 companhias nacionais e cinco internacionais(mais informações no site www.sesibonecos.com.br). Em 2004, a 1.ª edição passou por todas as capitais doNordeste e, no ano passado, foi a vez do Centro-Oeste, além dePalmas (TO) e Belo Horizonte (MG). Segundo a organização,aproximadamente meio milhão de pessoas já puderam conferir e seemocionar com as histórias vividas pelos bonecos, nas duasedições. "E nunca houve nenhum tipo de violência no festival",afirma Lina. Após a passagem por São Paulo, a mostra seguirápara Nova Iguaçu (RJ), Belo Horizonte (MG), Curitiba (PR), PortoAlegre (RS) e Joinville (SC).Exposição de bonecos de até 4 metros no Ibirapuera Paralelamente às apresentações das diversas companhias,também ocorre uma exposição cenográfica de bonecos de até 4metros de altura no Parque do Ibirapuera, que contará a históriados títeres no mundo e no Brasil. Além disso, um simpósio vaidiscutir a importância do teatro de bonecos na atualidade eoferecerá três oficinas gratuitas a profissionais do ramo. Oevento, denominado Teatro de Animação - Contemporaneidade eTradição, começa amanhã e vai até sexta-feira, no Sesi VilaLeopoldina. Entre os participantes estão os pesquisadoresFelisberto Sabino da Costa, Luiz Fernando Ramos, Mário Piragibee a bonequeira Ana Maria do Amaral. Os debates serão mediadospor Fernando Augusto Gonçalves, criador do Teatro MamulengoSó-Riso e do Museu do Mamulengo de Olinda, Pernambuco. Mas, afinal, o que é esse tal de mamulengo? A origem dapalavra criada por pernambucanos vem de "mão molenga" e consistena própria arte da manipulação de bonecos, que podia ser feitapor meio de luvas ou fios. Há registros da chegada dos títeresao Brasil há mais de um século em Pernambuco (provavelmentetrazidos por holandeses) e no Rio Grande do Sul (pelos alemães).A arte de contar histórias usando mamulengos teve início com amanipulação dos bichinhos e da sagrada família presentes nopresépio. "Quando deram vida ao teatro de presépio, com temasconsiderados profanos, virou a tal da presepada?", conta Linasobre a origem do termo.Cias do Japão, Estados Unidos, Espanha, Rússia e França Cinco companhias internacionais, vindas do Japão,Estados Unidos, Espanha, Rússia e França, vão mostrar como é quese faz a "presepada" nos outros cantos do mundo. Fundado emTóquio, em 1974, o grupo Dondoro caracteriza-se pela manipulaçãode bonecos de tamanho natural e de máscaras, unindo princípiosdos teatros butô, kabuki e bunraku. Pela primeira vez em SãoPaulo vêm as companhias Teatro Tenj (sombra, em russo), deMoscou; os espanhóis do La Fanfarra; o americano Phillip Hubercom The Huber Marionettes, que se tornou famoso por manipular osbonecos do filme "Quero Ser John Malkovich", de Spike Jonze(1999); e Petis Miracles, da França, com o seu Circo de Pulgas(invisíveis!). "Vou apresentar o circo em que trabalham as minhas trêspulgas amestradas: Mimi, Zaza e a cuspidora de fogo Loulou. Elasrealizarão proezas como equilibrismo e malabarismo nominipicadeiro", conta Jean-Dominique Kérignard, solista ecriador da Petis Miracles em 1996. "Também integra a companhia omeu cachorro Popof, que cuida das minhas pulgas e de mim. Mascomo ele não gosta de viajar de avião, sou eu quem estoucuidando das minhas pulgas nessa vinda ao Brasil ealimentando-as com o meu próprio sangue", brinca. Bonecos do Brasil e do Mundo. Teatro Popular do Sesi Av. Paulista, 1.313, 3284-9787. 3.ª a 5.ª, 20 h e 21h30. Grátis Praça da Paz do Ibirapuera. Parque do Ibirapuera. Sáb. e dom. apartir das 15h30. Até 13/8

Agencia Estado,

07 de agosto de 2006 | 20h28

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.