Multicultural Estadão entrega seus troféus

A Cinemateca Brasileira recebeucerca de 800 convidados para a entrega do "Prêmio MulticulturalEstadão 2002" na noite de terça-feira. Artistas e intelectuaismarcaram presença para prestigiar os indicados e os quatrovencedores: Antonio Abujamra, Jards Macalé e o Grupo Galpão, nacategoria criadores, e a Fundação Joaquim Nabuco, na categoriafomentador. Os premiados receberam R$ 30 mil e um troféu criado pelaartista plástica Sandra Cinto. Como norma do prêmio, a categoriafomentador apenas recebe o troféu. Uma das novidades desta sextaedição foi a entrega de um troféu feito pela artista plásticaMárcia Pastore para todos os indicados, além do patrocínio daSerasa S.A. O evento teve concepção e videoinstalações de MarcelloDantas e contou com a apresentação do ator Gero Camilo, que,descalço e muito descontraído, apresentou os 14 indicados. Asurpresa pela indicação marcou os depoimentos de Angel Vianna,Abraham Palatnik, DJ Dolores, Ismail Xavier e o premiado JardsMacalé, que declarou: "No princípio, foi uma surpresa. Depoisveio uma boa sensação por terem indicado também pessoas comoAngel Vianna, Antonio Abujamra, Paulo César Pereio, entre outrosartistas, cujo processo de criação está na invenção. Essa abertura é fantástica, valoriza as alegrias e dificuldadesdos artistas brasileiros, fora a divulgação do trabalho de cadaum." A divulgação também chama a atenção de Angel Vianna:"Realmente, eu não esperava a indicação e fiquei muito feliz. Oprêmio é muito importante para a arte e cultura, também valecomo uma reflexão sobre política cultural no Brasil. Além de serum momento marcante para a divulgação da arte e dos projetos decada um". O artista plástico Abraham Palatnik declarou que nãotem vocação para ser premiado, por isso ficou surpreso com aindicação. "Não estou na mídia, apenas realizo algumasexposições. Fiquei muito contente, gostei da escolha dosvencedores, profissionais excelentes." O primeiro nome anunciado para receber o troféu foi oInstituto de Cultura da Fundação Joaquim Nabuco. Comorepresentantes, a superintendente Silvana Meireles e opresidente Fernando de Mello Freyre receberam o prêmio das mãosdo diretor da Serasa, Juan Peres Carrillo. Os homenageadosdestacaram a amplificação do olhar sobre outras regiõesbrasileiras fora do eixo Rio-São Paulo e, ainda, o fato de levara cultura produzida na região Nordeste para todo o País. Em seguida, o diretor de redação do jornal O Estado deS.Paulo, Sandro Vaia, destacou o talento do ator, compositor,violonista e arranjador Jards Macalé. "Acompanhei sua carreiradesde o início e noto o pouco reconhecimento dado a JardsMacalé. Espero que o Prêmio Multicultural seja o começo desseresgate." Sempre brincalhão, Jards comentou que realmenterecebeu poucos prêmios e que, enfim, havia ganho um de peso. Eagradeceu à sua maneira: "tocando" uma caixinha de fósforos. O ator Chico Pelúcio representou o Grupo Galpão e logojustificou a ausência dos companheiros: estavam no Rio para aestréia do espetáculo Romeu e Julieta. Após receber o troféudo presidente da Serasa, Élcio Anibal de Lucas, o ator agradeceua "inteligência e a forma democrática do prêmio". Aindadedicou palavras de esperança ao novo governo federal e fez umapelo: "Que olhe a cultura não como mercadoria e ao mesmo tempoque não veja o artista como um assistente social." Um dos mais aguardados e divertidos discursos veio deAntonio Abujamra, que brincou: "Viver sem humor no País não dá.Quando vi que o patrocínio era da Serasa, pensei que não iriaganhar. Quem nunca passou pela Serasa não viveu". E,visivelmente emocionado, dedicou o prêmio à sua companheira há46 anos, Cibele. Eleição - Os vencedores foram escolhidos por umcolegiado de 6 mil votantes de todo o Brasil, entre jornalistas,artistas e críticos e pela primeira vez a votação foi realizadavia internet. A forma democrática do processo de votação foielogiada pela crítica de arte Radha Abramo. "Participo desde aprimeira edição do prêmio. Considero a escolha dos indicadoselegante e discreta. O processo de votação é muito bem elaborado não fica na dependência de humores ou grupos. Segue uma linhaaberta de análise dos produtos culturais, um processo muitosério e de respeito." A lista com os nomes dos 14 indicados foi elaborada poruma comissão de seleção formada por Lenora Lobo, MundicarmoFerreti, Mônica Cerqueira, Arthur Omar, Tunga, Arthur de Faria,Arlindo Machado, Danilo Santos de Miranda e Luiz Carlos Merten. "O prêmio é fundamental, o mais relevante para acultura no Brasil", diz Arthur Omar. "Além do alto nível dojúri, a votação é ampla e atinge diversos setores do meiocultural. Creio que a premiação em si seja menos importante quea indicação, uma forma de recordar e promover os artistas. Émuito divertido participar, tanto na comissão como indicado."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.