Mulheres gays não são lésbicas, dizem habitantes de ilha grega

Algumas habitantes da ilha grega deLesbos dizem que elas são as autênticas "lésbicas" e querem queos grupos gays parem de usar o termo. Diversos residentes da ilha abriram processos legais e umadecisão judicial pendente pede para um tribunal proibir que aComunidade de Gays e Lésbicas da Grécia use o termo "lésbica"em seu nome. O morador Dimitris Lambrou, que abriu um processo, disseque a disputa é sobre identidade e não sexualidade. "Precisamos proteger nossa identidade, proteger o nome quedefine a nossa origem de ser roubado", disse ele à Reuters TVna sexta-feira. "Nossas ações legais não têm nada a ver com orientaçãosexual de nossos adversários." Lesbos, ilha do no mar Egeu perto da costa turca, é o localde nascimento de Sappho, cujos poemas de amor do século 7inspiraram o termo "lésbica" para mulheres gays. A ilha se tornou ponto de encontro de mulheres gays aoredor do mundo, especialmente na vila de Sappho, Eressos. Evangelia Vlami, que representa a Comunidade de Gays eLésbicas da Grécia, disse: "Vamos rir no tribunal". "Isto é ridículo. O termo foi aceito pela sociedade, porcientistas, historicamente, e pelas Nações Unidas", disse ela àReuters por telefone. A primeira audiência será em junho. (Por Deborah Kyvrikosaios)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.