"Mulheres" empata com "Chaves" lá fora

A carreira internacional de Mulheres Apaixonadas está longe de trilhar os mesmos caminhos de O Clone, pelo menos entre os hispânicos. A trama, que estreou em muitos países da América Latina em junho, não vem alcançando índices de audiência muito animadores. Na Telefe, por exemplo, uma das principais redes da Argentina, a trama de Manoel Carlos não está entre os programas mais assistidos do canal e chega muitas vezes a empatar com o mais do que reprisado dos seriados, Chaves. O enlatado mexicano alcança média de 12 pontos de audiência. No Equador, Mulheres estreou há poucos dias na rede Ecuavisa, sem grandes resultados em ibope. Na Venezuela já há debates e mais debates sobre o casal de lésbicas da trama. A grande dúvida dos telespectadores por lá é se haverá ou não um beijo homossexual, o que até hoje nunca aconteceu na TV venezuelana. Contamos ou não contamos a eles? Um dos piores resultados da novela vem da Telemundo, rede voltada ao público hispânico nos Estados Unidos. A emissora, que já fez sua platéia vibrar com Terra Nostra e O Clone, conforma-se agora com a posição de Mulheres no 13.º lugar em audiência, chegando a registrar média de 4,3 pontos no horário. Já no Peru, a trama vai muito bem. A novela da Globo é freqüentemente o segundo programa mais assistido no país, com médias de 24,3 pontos. Uma das grandes concorrentes do folhetim global na América Latina é uma espécie de Betty, a Feia. A trama se chama Mi Gorda Bella, ( Minha Gorda Bela) e é uma produção de 2003 do canal venezuelano RCTV. Distribuída na América Latina pela produtora Coral, a novela conta a história de uma jovem simpática, inteligente, mas que sofre com seus quilinhos a mais. A trama já foi vendida para o México, El Salvador, Panamá, Equador, República Dominicana, Honduras, Nicarágua, Filipinas, Turquia, Hungria, entre outros países. Na Colômbia, é o programa mais visto, alcançando média de 41,6 pontos. Na Venezuela, seu país de origem, o folhetim alcançou médias de 70 pontos. E, pela carreira internacional de Mi Gorda Bella, a obra não demora a ser adquirida por algum canal brasileiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.