Muito trabalho para traduzir "Harry Potter"

A partir do próximo sábado, Lia Wyler será a dona do texto mais lido de língua portuguesa neste fim de ano. É verdade que pouca gente conhece essa senhora nascida no interior de São Paulo e criada no Rio de Janeiro, mas mais de um milhão de leitores já percorreram suas frases. Lia é tradutora da saga Harry Potter no Brasil, cujo mais recente título, Harry Potter e a Ordem da Fênix, chega às livrarias de todo o País no sábado, em tiragem recorde para o mercado doméstico, 300 mil exemplares. Nos últimos meses, Lia Wyler raramente era vista caminhando pelas calçadas da Gávea, bairro do Rio onde mora. Encontrá-la só era possível em uma pequena sala da editora Rocco, dona dos direitos de publicação dos livros de J.K Rowling por aqui. Para verter as 766 páginas do original em inglês da quinta obra da série para nosso idioma, Lia trabalhou praticamente todos os dias da semana à frente de um computador, traduzindo e revisando o calhamaço que desembarca aqui no fim de semana, reduzido a 704 páginas e ao custo de R$ 59.?Comecei traduzindo oito páginas por dia, revisando dois capítulos por semana e trabalhei nos dois primeiros meses apenas de segunda a sexta-feira. Terminei traduzindo dez páginas por dia, trabalhando sábados e até domingos, revisando entre dois e quatro capítulos por semana. As muitas alterações no original enviadas pela editora inglesa ao longo da tradução acrescentaram horas e até dias ao processo global?, explica Lia, que há mais de três décadas vem colocando ao alcance do leitor de língua portuguesa autores como Gore Vidal, Tom Wolfe, Stephen King e Henry Miller.Depois de enfrentar as quatro traduções dos livros anteriores do bruxinho, Lia diz que, a não ser pelo assombroso volume de páginas, não houve maiores dificuldades para a tarefa. Sobre a mais recente aventura de Harry, ela diz que o fato de o mago ter entrado na adolescência obrigou a autora a tornar o personagem mais complexo. ?Harry tem uma vida interior mais complexa neste volume. As expectativas dos outros em relação a ele também aumentaram. E, a cada novo enfrentamento com Voldemort, ele adquire novos vínculos indesejáveis com o seu poderoso adversário, pois há uma troca de poderes entre os dois, causando diversos problemas e gerando novas responsabilidades para Harry. Há ainda a primeira experiência amorosa e o despertar de novas emoções que têm menos a ver com o heroísmo e mais com a solidariedade humana?, disse ela. Tudo isso, apressa-se em dizer Lia, sem perder as características de Rowling para prender o leitor, principalmente as crianças, da primeira à última linha: diálogos rápidos, poucas descrições e uma trama de mistério e suspense. ?Tenho certeza de que os fãs de Harry Potter vão devorar essas 706 páginas com o mesmo prazer com que devoraram as aventuras anteriores?, diz Lia Wyler, que se prepara para lançar um livro escrito por ela, no original: Línguas, Poetas e Bacharéis, no qual reconstitui a história da tradução no Brasil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.