MTV vai atacar de dramalhão mexicano

A MTV quer entrar na seara das novelas. A intenção do canal jovem é produzir um folhetim em "homenagem" ao estilo mexicano de contar dramalhões na TV. "Iremos reunir em uma história aquelas coisas como irmãs gêmeas separadas pelo nascimento, cegos que voltam a enxergar, o rico que perde tudo e depois dá a volta por cima..", conta Zico Góes, o diretor de Programação da MTV. "Não faltam clichês nem idéias para rechearmos a trama", continua. "Será tudo em tom de brincadeira e acho que tem grandes chances de dar certo. Não dava para MTV querer fazer uma novela séria, se nem a gente se leva a sério".Para protagonizar o primeiro - e provavelmente o único - folhetim do canal musical, a MTV pensa em chamar músicos e cantores que já são a cara do canal. "Os atores dessa brincadeira serão os músicos que estão sempre na emissora. Gente como o Marcelo D2, a turma do Charlie Brown. Podemos até ter a participação de um ou outro VJ", conta Góes. Segundo Góes, o canal pretende produzir uma pequena trama - de 12 capítulos apenas - reunindo toda a espécie de clichê do gênero. Se der tudo certo, a novela da MTV deve estrear no segundo semestre deste ano, assim como um novo projeto de série do canal. Inspirados pelo sucesso de produções como o reality show ´20 e Poucos Anos´ - que estreou no canal em 2000 - a MTV pretende lançar uma série que mostrará o dia-a-dia de jovens solteiros. Câmeras acompanharão por alguns dias a rotina de alguns jovens, 5 ou 6, que há muito tempo levam uma vida de solteiro. Suas bagunças, seus amigos, seus trabalhos serão filmados como em um reality show. Série sobre solteiros - "O espírito é o do 20 e Poucos Anos, mas não é o mesmo formato", fala Góes. "Os jovens não precisam necessariamente se conhecerem, como acontecia no 20 e Poucos Anos, queremos mostrar é esse universo de jovens solteiros, que vivem sozinhos, se viram sozinhos, gente interessante que tenha vida interessante." Os dois projetos - a novela e a série - ainda estão em fase embrionária na emissora, mas ambos têm grande chance de emplacar. Segundo Góes, os dois programas já foram aprovados pela direção.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.