Imagem Cristina Padiglione
Colunista
Cristina Padiglione
Conteúdo Exclusivo para Assinante

MTV negocia sua série com canais pagos

A MGM convidou Luana Piovani para representar a classe artística brasileira no tributo que o canal prestará a Mel Brooks na festa do AFI - American Film Institute -, dia 6, em Los Angeles. Em edições anteriores, o evento já contou com Hebe Camargo e Déborah Secco.

CRISTINA PADIGLIONE, O Estado de S.Paulo

21 de maio de 2013 | 02h09

Ana Maria Braga e Louro José comandam o Brazilian Day de Lisboa, neste fim de semana. A festa, promovida pela Globo Internacional, pela primeira vez terá dois dias lá, com shows de Zezé Di Camargo e Luciano, Jota Quest e banda Calypso.

Em 21 de julho, o Brazilian Day desembarca em Tóquio, com Luan Santana e Serginho Groisman. O Brazilian Day de Nova York, que deu origem à festa mundo afora, chega este ano à sua 29.ª edição em setembro, com Zeca Pagodinho e Gusttavo Lima, que em seguida pilota a versão do evento em Toronto.

Por falar em festa, a MTV planeja para o fim de outubro, mais tarde que o habitual, a edição do ano do VMB, Video Music Brasil, maior premiação do videoclipe nacional.

Diretor do R7, Antonio Guerreiro agora chefia também a recém-criada Diretoria-Geral de Novas Mídias, na Record. O novo expediente prevê a distribuição de conteúdo da Record em diversas plataformas, como internet, mobile e toda espécie de aplicativos,

Mariana Godoy se multiplica entre estúdio e externas do Jornal das Dez para gravar série sobre a Jornada Mundial da Juventude. Estreia dia 24, na Globo News.

Salve Jorge teve 46 pontos, sua audiência máxima em São Paulo, como média do último capítulo, exibido na sexta-feira, segundo os números consolidados do Ibope. São 7 pontos - o que equivale a 434 mil residências - a menos que o final de Avenida Brasil na região.

Com estreia marcada para a próxima segunda-feira, na MTV, a série A Menina sem Qualidades, de Felipe Hirsch, tem boas chances de ganhar exibição em outros canais, em futuro de médio a longo prazo. Bancado pela MTV, sem verba de lei de incentivo, o programa já motiva o agendamento de reuniões entre a direção da casa e canais pagos - como HBO. A MTV tentará faturar com a venda da série, que, na TV paga, honraria parte da cota de produção nacional exigida por lei. A série também será oferecida ao mercado internacional, sem ter de priorizar outras MTVs mundo afora. Assim disse à coluna o diretor Zico Góes.

Tudo o que sabemos sobre:
Cristina Padiglione

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.