"MTV na Copa" promete rir até da derrota

Apesar do pessimismo generalizado com a seleção brasileira, o humorista, radialista e apresentador Paulo Bonfá garante que vai vestir a camisa verde e amarela e torcer pela seleção de Luiz Felipe Scolari. "Eu sou brasileiro e me sinto na obrigação de achar que somos favoritos, até que provem o contrário", diz, otimista. Bonfá se prepara para estrear, ao lado do amigo de infância Marco Bianchi, a mesa-redonda MTV na Copa, a partir desta terça-feira, às 23h, ao vivo. O programa irá ao ar às terças e quintas. "A intenção é abordar assuntos quentes da Copa de uma maneira diferente", explica ele.Depois de fazer a locução do Rock Gol MTV (campeonato de futebol realizado pela emissora que reúne vários músicos e bandas) por cinco anos, Bonfá ganhou a chance de apresentar a atração durante a Copa do Mundo. "A princípio serão só oito programas, mas que poderão ser pilotos para a expansão do futebol ao longo do ano na MTV", prevê. Sem abrir mão do humor, Bonfá diz que será um pouco difícil satirizar os tradicionais programas de debates esportivos. "Prefiro pensar que alguns deles já são tão surreais que seria difícil competir, então acredito que estarei criando um novo conceito de mesa-redonda, sem a pretensão de ser dono da verdade", diz o ex-apresentador do TV Fama (RedeTV!) e um dos criadores do programa de humor Sobrinhos do Ataíde, junto com Marco Bianchi e Felipe Xavier.Agência Estado - Como será o formato do MTV na Copa? Paulo Bonfá - Será uma mesa-redonda para lá de escrachada, com a participação da audiência e convidados especiais no estúdio. A intenção é abordar os assuntos "quentes" da Copa do Mundo de uma maneira diferente, além de dar destaque a coisas que as outras emissoras não mostrarão por estarem no enfoque jornalístico do evento. Minha postura como âncora será completamente imprevisível, nem o pessoal da "MTV" saberá o que eu vou aprontar antes do programa ir ao ar.Será uma sátira aos programas de debates esportivos?Bonfá - Sobre satirizar os debates esportivos, prefiro pensar que alguns deles já são tão surreais que seria difícil competir; então, acredito que estarei criando um novo conceito de mesa-redonda, sem a pretensão de ser dono da verdade, mas assumindo o ponto de vista do torcedor e antecipando a gozação que acontece sempre no dia seguinte aos grandes jogos. Acho que minha experiência com programas de TV ao vivo (Superpop e TV Fama), aliada aos meus 12 anos de humor e interação com a audiência no rádio, servirão de base ao projeto.Você participou da concepção do programa ou foi idéia da própria MTV?Bonfá - Eu estou envolvido até o pescoço nessa brincadeira... tem o dedo de Paulo Bonfá em tudo: texto, roteiro, cenário, figurino, casting de convidados... Lógico que há uma equipe trabalhando em conjunto, e que tudo é discutido e aprovado pela direção da MTV. Mas estou me dedicando minuciosamente a todos os detalhes para fazer um programa vencedor. Se não der certo, eles poderão até dizer: "Tá vendo, culpa do Bonfá que se meteu em tudo!"Como surgiu o convite para apresentar o MTV na Copa?Bonfá - Foi um processo natural. Depois de fazer o Rockgol MTV em 1997, 1999, 2000 e 2001, finalmente surgiu uma chance de emendar o campeonato dos músicos e a Copa do Mundo. Até por isso existe um ânimo extra, uma expectativa de todos por ser algo inédito. Em janeiro já falávamos sobre este projeto, que evoluiu de conversas anteriores.O MTV na Copa contará com vários convidados. Já dá para adiantar alguns nomes?Bonfá - Nem sei se posso, mas vou falar...Desde o início eu quis misturar personalidades da área "futebolístico-esportiva" aos famosos do meio "artístico-musical", pois estou convicto de que a paixão nacional rende situações inusitadas. Na área artística, ainda não sei como estão as confirmações, porém entre atletas e ex-atletas já toparam Raí e Careca e a Paula (do basquete). Outros nomes virão, com muitas surpresas...Como foi sua saída da RedeTV!?Bonfá - Em setembro do ano passado eu já havia decidido não renovar meu contrato com a Rede TV!, pois a linha editorial não casava mais com meus ideais. Embora tivesse alguns meses a cumprir na emissora, comuniquei a eles amigavelmente e me senti livre para tocar outros projetos. Foi então que tive tempo para formatar uma idéia antiga: realizar uma mesa-redonda alternativa sobre futebol, ao vivo, mesmo sem ter as imagens de gols e partidas. O conceito era abusar da criatividade e do bom humor com personalidades convidadas e participação da audiência, além de matérias gravadas por mim mesmo em locais pitorescos ligados ao esporte.Você apresentou esse projeto para alguma emissora?Bonfá - Sim. Criei um programa - batizado de Projeto Pelota - e fui apresentá-lo ao Zico Góes, diretor de programação da MTV. Idas e vindas, a MTV não se sentia confortável para "criar do nada" algo ligado ao futebol cotidiano que não tivesse sinergia com os demais programas da grade. Aliás, é bom que se diga que eles ainda não consideram a hipótese de viabilizar o Projeto Pelota. Sendo assim, o MTV na Copa será um balão de ensaio e pode ser um piloto para a expansão do futebol ao longo do ano. Espero que a direção acompanhe de perto nossos resultados, pois recebi convites de outras emissoras e preferi investir mais uma vez na MTV, onde me sinto em casa e tenho ótimo relacionamento com todos.Há quanto tempo você conhece o Marco Bianchi ? Vocês "ensaiam" alguma coisa antes de entrarem no ar, seja no rádio ou TV?Bonfá - O Bianchi morava no mesmo prédio que eu e estudava na mesma escola, o Colégio Santa Cruz, em São Paulo. Isso quer dizer que a gente se conhece desde os 7 anos de idade. Sempre tivemos afinidade no humor e no futebol. Quando eu comecei os Sobrinhos do Ataíde (na rádio 89FM), ele estava desde o início no grupo. Com ele as coisas ficam fáceis, não é preciso ensaiar nada. E eu também detesto ensaiar... Adoro o calor do improviso, a pressão do programa ao vivo, a necessidade de ser criativo a cada segundo. Nunca fiquei em saia justa, seja no rádio, seja na TV. Eu gosto dos riscos. Mas também só corro riscos calculados!Você tem outros projetos?Bonfá Na TV, por enquanto, minhas fichas estão apostadas em arrebentar a boca do balão na MTV. Há outros convites e projetos, mas deles é melhor falar daqui a uns três meses. No rádio, apresento há dois anos o programa Tintim por Tintim pela Transamérica FM, em todo o Brasil, de segunda a sexta, ao vivo entre 8h e 10h. No segundo semestre, a idéia é girar com o programa por diversas capitais - numa espécie de turnê -, algo que jamais foi feito no rádio. Também está certo que apresentarei um grande concurso de bandas, o Festival Semp Toshiba Transamérica, projeto que vai chacoalhar a moçada que curte música a partir de agosto próximo. É esperar pra ver!Você acredita que o Brasil pode ganhar a Copa do Mundo?Bonfá Eu sou brasileiro, torcedor, então me obrigo a achar que somos favoritos, até que provem o contrário. Logicamente, meu bom senso também faz com que eu mantenha os pés no chão quanto à nossa real situação. Para não ficar totalmente em cima do muro, vou concluir pelo meu lado profissional: vai ser bem melhor para o programa se tivermos que fazer um MTV na Copa especial de última hora antes da final, com o Brasil entrando em campo. Mas quero deixar claro que no programa riremos sempre, seja da desgraça, seja da conquista.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.