MPBA batida perfeita de um Jorge Benque fez escola

JORGE BEN

O Estado de S.Paulo

01 de setembro de 2012 | 03h09

SAMBA ESQUEMA NOVO

Gravadora: Polysom

Preço médio: R$ 70

EXCELENTE

Elevado imediatamente à categoria de clássico, o primeiro álbum de Jorge Ben (f0t0), Samba Esquema Novo, de 1963, ganha nova edição em vinil de 180 gramas. Original da Philips, o disco sai agora pela Polysom com outro dos melhores do compositor, Negro É Lindo (1971), no mesmo formato, e junta-se a A Tábua de Esmeralda e África Brasil, reeditados anteriormente. O próprio título Samba Esquema Novo foi uma tentativa de classificar o estilo único de Jorge, com aquela batida peculiar do violão que influenciou uma infinidade de gente do samba e do pop e continua dando margem a explorações criativas, como as dos pernambucanos Fred Zero Quatro (do mundo livre s.a.) e do coletivo Sebozos Postiços (projeto de integrantes da Nação Zumbi), que vai lançar este mês um álbum interpretando canções de Jorge. Ele que mudou de nome e aderiu à guitarra, deixou saudosos fãs de sua peculiar batida de violão relevada nesse disco imprescindível. Tinha bossa, mas não era "aquela bossa nova", era samba moderno de outra maneira, na linha melódica, nas letras e nas influências "negroides", como cravou Armando Pittigliani no texto da contracapa. Mas Que Nada, Balança Pema e Chove Chuva são apenas algumas das pepitas dessa mina. / L.L.G.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.