Mostras festejam 80 anos da Semana de Arte Moderna

Há 80 anos São Paulo era sacudida pela Semana de Arte Moderna e durante três dias quentes de fevereiro de 1922 foram realizadas conferências, recitais e concertos. Muitas pessoas que foram não gostaram, os jornais quase não falaram do evento, mas ao longo dos anos seguintes ele acabou se tornando a mais importante manifestação cultural do País no século 20.O principal motivo do abalo foi a renovação dos padrões estéticos e artísticos. Os modernistas achavam que a arte precisava ser mais vibrante para refletir com fidelidade maior as transformações provocadas pela indústria e a velocidade. Por sua importância, a cada dez anos, a cidade prepara uma agenda diferente para comemorar aqueles dias que só mais tarde tiveram sua importância reconhecida.Este ano, o público tem boa oportunidade de conhecer um pouco mais sobre os modernistas. No Centro Cultural São Paulo, estão expostos 100 trabalhos de artistas importantes do período. Eles pertencem ao precioso acervo constituído por Sérgio Milliet, um intelectual que dirigiu a Biblioteca Municipal quando o modernismo estava no auge - e que, por isso, conseguiu reunir cerca de 2 mil peças, a maioria em papel.Na semana que vem, o Museu de Arte Contemporânea também expõe 23 importantes obras de grandes nomes do modernismo nas artes plásticas. Tarsila do Amaral, Anita Malfatti, Di Cavalcanti e Portinari são alguns dos nomes importantes das artes plásticas com obras no MAC.O Centro Cultural Banco do Brasil oferece cinema e música sobre o movimento de 22 e seus participantes. Na terça que vem, todas as peças musicais do compositor Heitor Villa-Lobos apresentadas no Municipal em 22 serão executadas sob a direção artística de Mario de Aratanha.Na tela, filmes e documentários sobre obras e artistas modernistas. Do ponto de vista histórico, vale a pena ver Semana de 22, documentário de Suzana Amaral realizado em 1968. O filme reúne uma série de imagens de São Paulo na década de 20 e situa o modernismo dentro de seu contexto histórico.Modernismo no Centro Cultural Banco do Brasil - Rua Álvares Penteado, 112, centro, tel.: 3113-3600.São Paulo Modernista - Galeria IMS, Saguão do Unibanco Artiplex. Shopping Frei Caneca, 3º piso. Até 17 de março.Modernismo - da Semana de 22 à Seção de Arte de Sérgio Milliet - Centro Cultural São Paulo, R. Vergueiro, 1000, Paraíso. Até o dia 28.22 e a Idéia do Moderno - Museu de Arte Contemporânea, Rua da Reitoria, 160, Cidade Universitária.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.