MOSTRAS DE PESO NA INAUGURAÇÃO

O projeto original do MAR previa que o museu se dedicaria a apresentar coleções de arte importantes. Duas das mostras inaugurativas indicam esse perfil, O Colecionador - Arte Brasileira e Internacional na Coleção Boghici (do marchand Jean Boghici, que teve seu apartamento incendiado no Rio no ano passado) e Vontade Construtiva na Coleção Fadel, com preciosidades brasileiras - como um belo conjunto de pinturas de Alfredo Volpi - do acervo constituído pelo advogado Sérgio Fadel e por sua mulher, Hecilda.

RIO, O Estado de S.Paulo

28 Fevereiro 2013 | 02h11

Como indicou Paulo Herkenhoff, essa diretriz inicial pensada para o museu vai se diluir para que o MAR se firme mais à vertente da arte e educação. O próprio diretor da instituição assina, ao lado de Roberto Conduru, a curadoria da mostra com cerca de 250 obras da Coleção Fadel. A exposição não só traz os highlights do concretismo e neoconcretismo brasileiros representados por criações de Lygia Clark, Sergio Camargo, Oiticica e Weissmann, por exemplo, como volta mais ao passado ao exibir escultura de Aleijadinho (doada ao MAR por colecionador anônimo).

Já a mostra com 136 obras de Jean e Geneviéve Boghici, concebida por Leonel Kaz e Nigge Loddi e com curadoria artística de Luciano Migliaccio, é um projeto de produção própria, inclusive, com expografia assinada por Daniela Thomas e Felipe Tassara. "Apenas 12 obras foram substituídas na exposição por causa do incêndio", conta o curador Leonel Kaz. Na exposição, "que deixa o visitante livre", diz Kaz, as obras da coleção, entre Tarsilas, gravuras de Debret, uma pintura de Morandi e as da Nova Figuração e relíquias chinesas ficam todas mescladas numa montagem circular e na qual as peças ficam suspensas. A exposição se completa com livro da Aprazível Edições.

Mais ainda, o visitante do MAR encontrará as exposições Rio de Imagens: Uma Paisagem em Construção, cuidadosa curadoria de Carlos Martins e de Rafael Cardoso com obras de desde o século 17, e a coletiva O Abrigo e o Terreno (Arte e Sociedade I), concebida por Herkenhoff e Clarissa Diniz. / C.M.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.