J. Voita/EFE
J. Voita/EFE

Mostra sobre Sherlock Holmes em Londres é a mais completa em 60 anos

Exposição vai mostrar objetos pessoais de Conan Doyle e de outros artistas envolvidos na trajetória do personagem

EFE

20 de maio de 2014 | 11h47

A maior exposição sobre Sherlock Holmes que chega ao Reino Unido em mais de 60 anos deve revelar incógnitas sobre as origens do detetive fictício e as fontes de inspiração de seu criador, o escritor escocês Arthur Conan Doyle.

Uma das joias da exposição, que o Museu de Londres adiantou nesta terça-feira, 20, é uma tela a óleo inédito de Conan Doyle pintado por Sidney Paget em 1897, que “permite apreciar como era o autor aos 37 anos”, o qual possuía uma curiosa semelhança com Dr. Watson, o companheiro de aventuras de Holmes, de acordo com a comissária do museu Pat Hardy. No retrato, propriedade dos herdeiros de Conan Doyle, o autor leva um bigode abundante e tem os olhos assimétricos, resultado de um acidente.

::: Cultura Estadão nas redes sociais :::
:: Facebook ::
:: Twitter ::

Paget ilustrou as primeiras publicações do escritor na revista popular The Strand, e foi ele quem criou a imagem que até hoje se relaciona com o detetive: a capa, o gorro e o cachimbo. A inspiração de Conan Doyle para criar o famoso detetive foi Os Assassinatos da Rua Morgue, livro de 1841 de Edgard Allan Poe. O manuscrito desta obra também estará na exposição no Museu de Londres.

O diretor de coleções históricas do Museu, Alex Werner, explicou que o escritor escocês era muito fã das narrativas de Poe, e que o protagonista C. Auguste Dupin, de mente analítica e um fiel acompanhante, inspirou Holmes e sua relação com Watson. Por outro lado, o caráter científico das investigações de Holmes se alimentou dos conhecimentos do próprio Conan Doyle, que estudou medicina.

A exposição, que abre no dia 17 de outubro, deve analisar também as representações de Holmes no cinema e no teatro, com objetos de seus principais intérpretes, como o ator americano William Gillette. Um dos objetivos do Museu é reivindicar o papel da capital britânica nas histórias de Sherlock Holmes, e por isso a mostra deve expor pinturas, desenhos e fotografias de locais emblemáticos da cidade, como a avenida Strand, Piccadilly, as Casas do Parlamento e outras construções da Londres vitoriana.

Holmes também é objeto de uma exposição permanente na capital britânica: The Sherlock Holmes Museum fica no número 221B da Baker Street, endereço em que o detetive morava nas histórias.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.