Mostra revela inéditos de Carybé

Uma viagem pelo Caribe a bordo deum navio, em 1988, foi o momento em que o artista plásticoCarybé produziu 26 aquarelas inéditas que poderão ser vistas apartir desta terça-feira, em uma exposição no Alfa Romeo Studio. Emum mês de viagem, o artista - que nasceu na Argentina, viveu naBahia e morreu em outubro de 1997, aos 86 anos - retratou otempo e as pessoas no navio, bem como alguns lugares turísticospor onde passou com a mulher Nancy e com dois netos. Argentino, naturalizado brasileiro, Hector Julio ParideBernabó chegou ao Rio aos 8 anos, na década de 30. Radicou-se naBahia na década de 50 e foi lá que sua obra tomou a forma pelaqual Carybé é reconhecido: desenhos, gravuras, entre outrossuportes baseados nos ritos africanos, em negros e mulatos,becos, ladeiras, procissões, rodas de capoeira - é certo que elese encantou com o candomblé e passou no terreiro Axé Opô Afonjáseus últimos minutos de vida, antes do enfarte que o matou. Alémdisso, Carybé é reconhecido pelas ilustrações que fez para olivro Cem Anos de Solidão, de Gabriel García Márquez, paraMacunaíma, de Mário de Andrade, e para os romances de JorgeAmado. Agora, nesta exposição, o que se pode ver são aquarelasdiferentes, como se fossem um diário de bordo do artista. "Sãocenas bem-humoradas de um momento de lazer de Carybé", diz opublicitário Francisco de Ancona Lopez, organizador destamostra. Depois de quase 15 anos em que foram feitas, umcolecionador anônimo dispôs das obras para que fossem reunidas emostradas ao público. Lopez ainda diz que Carybé não só desenhou durante aviagem como escreveu duas pequenas crônicas que também poderãoser vistas. Datilografadas e corrigidas à mão pelo artista, umadelas, intitulada Guerra a Bordo, relata a transformação dosturistas durante o decorrer dos dias no navio. A outra é umregistro do cotidiano da viagem. A exposição ainda reúne fotografias feitas,coincidentemente, pelo irmão do publicitário, Rodolfo de AnconaLopez, durante o cruzeiro, um tipo de retrato das atividades deCarybé no Caribe. Desenhando, produzindo suas aquarelas, lendo,ao lado de Nancy ou com os netos. Tudo isso compõe a exposição abrigada no amplo espaço doAlfa Romeo. Do mesmo modo que foi "o verdadeiro cronista daBahia", como disse o pintor Calazans Neto, o que se pode vernessa nova mostra é a crônica de uma de suas viagens.Serviço - Carybé. Diariamente, das 11 às 18 horas. Alfa RomeoStudio. Rua Oscar Freire, 1.055, tel. 3082-3667. Abertura,terça-feira, às 21 horas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.