Mostra reúne cartazes políticos na Bélgica; veja

Tema das obras são fatos e momentos que marcaram história recente no mundo.

Márcia Bizzotto, BBC

23 de novembro de 2007 | 06h54

Um festival internacional reúne no centro cultural da cidade de Mons, na Bélgica, uma coleção de 140 pôsteres de caráter político, que denunciam em imagens momentos históricos e fatos polêmicos que marcaram os últimos anos.Criado em 1978, a Trienal Internacional de Pôsteres Políticos conta este ano com o trabalho de programadores gráficos de quase 50 países, incluindo os do brasileiro Paulo Moretto."A produção contemporânea desses cartazes aborda múltiplos temas da vida em sociedade: o desarmamento, o conflito entre Oriente e Ocidente, a fome no mundo, o racismo, a Aids. Esses rabalhos são testemunhas da História imediata e traduzem o estado do mundo e as preocupações dos cidadãos", afirma a organização do evento.Em dois pôsteres entitulados Grand Circus Brasilis, Moretto ironiza a situação político-social brasileira anunciando "um circo imaginário no qual personagens do cenário nacional transformam-se em atrações bizarras", segundo o autor. Os cartazes foram lançados em 2005 e no dia da votação do primeiro turno das eleições de 2006.Os vencedores do festival foram selecionados por uma comissão de jurados composta por especialistas em artes, programadores gráficos e estudantes de ciências políticas.Nesta edição, o primeiro prêmio foi dado a um pôster criado pelo finlandês Timo Berry para a Anistia Internacional, em protesto ao assassinato da jornalista russa Ana Politovskaia, em novembro do ano passado. A imagem, que contrasta um retrato em preto e branco da jornalista com o mapa da Rússia sangrando no lugar de seu coração, estampou as ruas de Helsinki durante a visita do presidente russo Vladimir Poutine à cidade um mês depois da morte de Politovskaia.O segundo lugar ficou com dois trabalhos do israelense Yossi Lemel. Em United colors of beton, que pode ser traduzido para cores unidas do concreto, Lemel faz um trocadilho com o slogan da marca de roupas Benetton para criticar a construção pelo governo israelense de um muro que isola os territórios palestinos. Com a série Peace War/War Peace, o artista alude ao conflito entre seu país e a Palestina.A belga Alizée Freudenthal recebeu menção honrosa por Mulheres em perigo. Criado para a organização não-governamental de mesmo nome, o pôster alerta para o problema da violência doméstica por meio da imagem de um seio a ponto de ter o mamilo cortado por uma tesoura.As imagens ficam expostas em Mons até o fim de abril de 2008.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.