Mostra resgata acervo fotográfico de d. Pedro II

A partir de hoje, quem for ao Instituto Cultural Banco Santos, em São Paulo, poderá assistir a uma exposição que não se vê todo dia. São 220 fotos da coleção de d. Pedro II. Considerado o primeiro fotógrafo brasileiro, o imperador assina alguns dos registros em cartaz. Mas não é apenas sua assinatura que dá importância à mostra. As imagens de De Volta à Luz foram recuperadas recentemente após passarem todo o século 20 guardadas na Biblioteca Nacional.Carinhosamente apelidadas de "enroladinhas", as fotografias passaram mais de cem anos guardadas em caixas nos arquivos da Biblioteca Nacional, no Rio. Elas foram deixadas lá quando d. Pedro II saiu do Brasil após a proclamação da República, em 1889. Foram encaixotadas em rolos (daí o apelido), e só atualmente foi criada uma técnica para desenrolá-las sem causar graves danos. O processo de restauração custou R$ 280 mil, e foi bancado pelo patrocinador da exposição.D. Pedro II entusiasmou-se pela fotografia logo quando a descobriu, em 1840, na frente do Paço da Cidade, centro da capital do Império, o Rio de Janeiro. Uma demonstração pública da fotografia feita por um abade francês seduziu o Imperador, que se tornou então o primeiro dono de um equipamento fotográfico no País.É o que o visitante vai ver em De Volta à Luz. A maior parte das fotos é de viagens do Imperador, que também fez dos fotógrafos presença obrigatória nas comitivas de suas viagens. Mas também há registros do cotidiano da corte, com gente como a Princesa Isabel e o Conde D?Eu. Também estarão expostas imagens que o Imperador adquiria para sua coleção particular. De Volta à Luz resgata algo da história brasileira e da história da própria fotografia, mas acima de tudo traz à luz imagens que passaram um século no escuro.De Volta à Luz - Fotografias da Coleção do Imperador - Insituto Cultural Banco Santos. Rua Hungria, 1.100, Jardim Paulistano. Tel.: 3818-9591. De terça a sexta, das 10h às 18h. Sábados, domingos e feriados, das 10h às 17h. Entrada franca. Até 31 de outubro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.