Mostra no Rio reúne 208 peças do barroco mineiro

O Centro Cultural Banco do Brasil(CCBB) do Rio abre na próxima sexta-feira a exposição"Aleijadinho e seu Tempo - Fé, Engenho e Arte". O curador é ocrítico de arte Fabio Magalhães, ex-conservador do Masp de SãoPaulo e ex-diretor do Memorial da América Latina. A mostra é uma das maiores já realizadas sobre o artistae seu período. Reúne 208 peças originais do barroco mineiro,entre estatuária, objetos sacros, oratórios, desenhos, mapas,peças de ouro e fotografia, distribuídas em 11 módulos. Notérreo do CCBB estarão dispostas réplicas autorizadas dos 12Profetas, estátuas famosas que integram a praça da Igreja de BomJesus de Matosinhos, em Congonhas (MG). No segundo andar, oséculo 18. No segmento "O Lugar", mostram-se mapas e obras dosartistas viajantes, como Rugendas, Thomas Ender, Von Martius,Debret, H.Muller e Maximilian Wied-Neuwied. O Núcleo do Ouroreúne moedas, lingotes e objetos. A sala Aleijadinho, dedicadaao escultor, reúne entalhes e fragmentos de entalhes, imagens desantos e relicários originais. No segundo andar, oratórios doséculo 18. O primeiro segmento do primeiro andar ("A Devoção")reúne fotos de Marc Ferrez e ensaio fotográfico do francêsMarcel Gautherot, feito nos anos 50 em Minas. A Igreja de SãoFrancisco de Assis, em Ouro Preto, está presente com maqueteinédita da sua feição original, feita a partir de estudo daFAU-USP. Além de cronologia da vida do artista, a mostra examinao conjunto de Congonhas e traz conjuntos de ex-votos do século18, e peças de contemporâneos do Aleijadinho, como MestrePiranga, Francisco Xavier de Brito e Mestre Ataíde. Tambémhaverá projeção de filmes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.