Mostra nasceu para resgatar debate na arte

A Documenta de Kassel teve sua primeira edição em 1955. Uma iniciativa do pós-guerra, ocorre, desde então, a cada cinco anos na cidade alemã. Foi proposta pelo arte-educador, artista e designer Arnold Bode, responsável pela diretoria artística da primeira mostra. Ele definia a Documenta como "O Museu de 100 dias" - e esse é o período tradicional de exposição do evento. A Documenta nasceu em Kassel, uma cidade destruída pelos bombardeios da Segunda Guerra Mundial, com o intuito inicial de resgatar o debate artístico numa Alemanha que, dominada antes pelo nazismo, baniu expressões de experimentação alcunhando-as de "Arte Degenerada".

O Estado de S.Paulo

06 de junho de 2012 | 06h39

Entre as edições de destaque do evento, podem-se citar a Documenta 5, realizada em 1972, com curadoria de Harald Szeemann, e a de número 10, dirigida por Catherine David. A atual Documenta 13, com direção artística da ítalo-americana Carolyn Christov-Bakargiev, será aberta para o público no sábado e fica em cartaz até 16 de setembro. / C.M.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.