Mostra leva 286 peças de teatro ao interior e litoral

A Mostra de Teatro Infantil do Sesi deste ano é um verdadeiro mosaico de tendências, cores e assuntos. Diversidade e qualidade marcam o projeto que fará 11 grupos teatrais circularem por cidades do interior e litoral de São Paulo. Infelizmente, a capital fica fora do calendário. Serão nada menos que 286 apresentações de hoje até o dia 23 de julho. "Ficamos impressionados com a qualidade técnica e artística dos projetos que recebemos. No total, foram 103 inscritos, todos muito bons, o que dificultou a seleção", afirma a chefe do setor de Artes Cênicas do Sesi São Paulo, Sonia Machado de Azevedo. As peças que integram a Mostra foram escolhidas por uma comissão do próprio Sesi, compostas por profissionais de artes cênicas. Os espetáculos selecionados, de maneira geral, exigem das crianças atenção e contribuem para a formação de um pensamento crítico. Como a variedade é a tônica da Mostra, a platéia poderá conferir um espetáculo sofisticado, que utiliza iluminação requintada como Vem Vento..., peça que conta a história de Pingo, que adormece e sonha ser um barquinho em busca da flor Irupê. O espetáculo pode ser compreendido como uma metáfora do processo de aprendizagem. Ou o premiado Assembléia dos Bichos, de Claudia Vasconcellos e direção de Johana Albuquerque. A história narra um encontro especial: bichos de todos os cantos do mundo reúnem-se em uma grande assembléia para discutir seus problemas. Este ano, a importante reunião aconteceu no Brasil e um tatu foi o mestre-de-cerimônias. O pequeno bichinho, por meio do diálogo, consegue chegar a soluções plausíveis para problemas de animais de diferentes culturas. Só um bicho parece não ter solução: o ameaçador homem. Uma peça que desperta o olhar para a importância da democracia e faz um apelo ecológico. A cultura brasileira não foi esquecida. O conto popular Couro de Piolho teve adaptação para o teatro e aborda a brasilidade, ao mesmo tempo que brinca com os contos de fadas. Já Feira de Cordel leva ao palco a figura dos brincantes. Uma releitura do clássico Romeu e Julieta, uma criação inspirada nos poemas de Paulo Leminski e um espetáculo só de mímica, entre outros, compõem a Mostra. "Todos os trabalhos escolhidos são muito bem-acabados, muito bonitos e abordam questões profundas do ser humano. Tratam de problemas relevantes do ponto de vista social, político e individual", observa Sonia. "As crianças são exigentes, não aceitam espetáculos tatibitates, que falam de um mundo que não existe, distante da realidade delas." O projeto de circulação da Mostra de Teatro infantil deve levar aos teatros cerca de 61 mil espectadores. "Temos este projeto de formação de platéia, que tem dado resultado. E também incentivamos a produção local, com a realização de cursos livres e a apresentação de peças de teatro amador no Cena Livre, no fim do ano."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.