Mostra lembra centenário de Nise da Silveira

O centenário de nascimento de Nise da Silveira, psiquiatra que introduziu a arte como terapia de doença mental no Brasil, começa com a abertura da mostra Mar do Inconsciente - A Imagem como Linguagem, no Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social. São 50 obras de clientes (ela recusava o termo paciente) da Casa das Palmeiras, instituição fundada pela médica em 1956 para completar a reabilitação dos psicóticos. Algumas são antigas, como as pinturas de Darcílio Lima, considerado um dos expoentes do surrealismo brasileiro, e outras mais recentes, de pessoas que ainda estão em tratamento. "São trabalhos que o leigo considera artístico ou não, se encontra qualidade estética neles", diz o psicólogo Walter Melo, curador da mostra com Agilberto Calaça e Sheila Bergman, que hoje continuam o trabalho de Nise. Serão seis salas interligadas. A primeira terá A Roda, de Bispo do Rosário, que não foi cliente de Nise da Silveira, mas criou obras que resumem sua filosofia de trabalho. Outras sessões mostram a evolução artística e a melhora de seus autores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.