Mostra inaugura Nova André Galeria

Para inaugurar seu novo espaçoampliado, a Nova André Galeria - que antes era conhecida comoAndré Galeria - abre amanhã a exposição 4 Décadas, quereúne 136 obras de seu vasto acervo, entre elas 96 pinturas e 40escultoras. Funcionando desde 1959, a galeria passou por umareforma e agora chega a medir 1.535 metros quadrados, sendo hojeconsiderada uma das maiores da América Latina. 4 Décadas foipensada justamente para sinalizar mudanças conceituais tanto emrelação ao novo espaço da galeria quanto sobre suas escolhas detrabalho.Para tanto, o curador Carlos von Schmidt levou 45 diaspara escolher as 136 obras entre as 2.500 do acervo da galeria."Foi uma reunião de artistas antológicos, artistas famosos e osconsiderados emergentes", diz o curador. Ele conta que, quandojá estava tudo pronto, inclusive o catálogo, chegaram mais doispainéis em madeira feitos em 1956 por Portinari que foramincluídos na exposição. Os painéis, de grandes proporções, sãoTransporte de Café e Colheita de Café, produzidos, naépoca, para o Banco São Caetano. Os valores desses painéis sãorespectivamente R$ 1 milhão e 400 mil e R$ 1 milhão e 300 mil.4 Décadas tem três segmentos: o primeiro, o dosartistas antológicos, traz obras de Candido Portinari, VictorBrecheret, Emiliano Di Cavalcanti, Vicente do Rego Monteiro,Alfredo Volpi, entre outros. Entre os artistas famosos quecompõem o segundo segmento, estão Carybé, Carlos Scliar e EnricoBianco. E no último segmento, o dos considerados artistasemergentes, Von Schmidt destaca os trabalhos de Thereza Portes,Claudio Aun, Marco Stelatto e a artista Edith Pittier, que jávendeu uma de suas obras para Mick Jagger.Esta é a primeira vez que que Carlos von Schmidt faz umacuradoria para a André, além de prestar assessoria para o local."Não acho anti-ético um curador fazer assessoria a uma galeria.As maiores galerias de Nova York, por exemplo, são assessoradaspor críticos e curadores", afirma von Schmidt. Ele também citacomo exemplo Pietro Maria Bardi, que além de dirigir o Museu deArte de São Paulo (Masp) tinha uma galeria particular.Carlos von Schmidt diz que não ficou restrito à montagemda exposição, mas 4 Décadas é uma ação para sinalizar o processode reformulação da galeria, principalmente a relação com seuvasto acervo. "Nova York tem 500 galerias, mas somente 50 sãode qualidade. E essas trabalham geralmente com um número de 12artistas. Uma das modificações será trabalhar com poucosartistas (por exemplo, para essa exposição foram escolhidos 56artistas), trabalhar melhor com um número menor", explica ocurador e crítico de arte.O nome da exposição está estritamente relacionado aos 42anos de existência da galeria que foi fundada pelo romeno AndréBlau. E algumas obras já estão vendidas, como duas pinturas deBianco e Vito Campanella e esculturas de Ricardo Amadasi eGustavo Nakle.4 Décadas. De segunda a sexta, das 10 às 20 horas;sábado, das 10 às 15 horas. Nova André Galeria. Rua GabrielMonteiro da Silva, 1.753, tel. 3064-2242. Até 24/12. Aberturaamanhã (20), às 20 horas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.