Mostra em Londres explora o sexo na história da arte; veja

'Seduzidos' traz obras de caráter erótico de mestres como Picasso e Rembrandt.

BBC Brasil, BBC

11 Outubro 2007 | 08h55

Uma exposição que será inaugurada nesta sexta-feira no Barbican, em Londres, explora a representação do sexo ao longo de dois mil anos de história e busca gerar um debate sobre o que diferencia arte de pornografia. "Seduced: Art em Sex from Antiquity to Now" (Seduzidos: Arte e Sexo da Antigüidade à Atualidade, em tradução livre) traz trabalhos pouco conhecidos de artistas como Picasso, Rembrandt e Andy Warhol, além de aquarelas chinesas, manuscritos indianos, artesanato romano e gravuras japonesas. O tema é tão polêmico que o aviso está por toda parte: "Esta exibição contém trabalhos de natureza sexualmente explícita". A polícia londrina esteve na galeria para garantir que não houvesse nada que fosse contra a lei na mostra e deu a permissão para que o público - com mais de 18 anos - tome suas próprias decisões sobre alguns dos polêmicos trabalhos. Entre eles, estão uma obra de Nan Goldin mostrando um homem ejaculando enquanto faz sexo com seu parceiro, fotos de crianças nuas e um curioso manuscrito árabe do século 18 com dez homens fazendo sexo grupal. Uma das primeiras coisas que o público vê na exposição é um molde de gesso usado para fazer uma folha de 45 centímetros usada para cobrir a genitália da estátua de Davi, Michelangelo, para que a Rainha Vitória não se envergonhasse ao se deparar com um homem nu em tamanho gigante. A partir da época do Renascimento, o amor entre deuses pagãos era a desculpa para a representação de cenas eróticas. Mas qualquer imagem de natureza sexual sem a capa da mitologia era vista como altamente ofensiva. A mostra também explora a maneira como algumas obras geraram diferentes reações em diferentes épocas. Enquanto na Grécia antiga imagens explícitas - tanto heterossexuais como homossexuais - eram abundantes, essas mesmas obras costumavam ser menosprezadas por especialistas de museus. Alguns mestres das artes, como o holandês Rembrandt e o britânico Turner, fizeram desenhos secretos ou quase desconhecidos de atos sexuais. "Seduzidos" também traz vídeos, fotos e instalações que, por vezes, seguiram uma tendência do início do século 20 de tentar ultrapassar a barreira do aceitável, tornando a diferenciação entre pornografia e arte muito mais complexa. A exposição fica em cartaz até o dia 27 de janeiro. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.