Mostra do Sesc quer tirar espectador da inércia criativa

Na era da tão apregoada ''interatividade'', definir as fronteiras entre até onde o espectador é alvo passivo de uma obra de arte e até onde ele atua como agente criativo se torna tarefa cada vez mais árdua. De olho na discussão dos limites entre consumidor e criador de arte, o Sesc realiza a partir de hoje sua Mostra Sesc de Artes 2007, nas suas unidades capital e do interior.Não por acaso, a Mostra tem neste ano o tema Circulações. Mais que literalmente fazer as obras, peças, shows, performances e afins circularem, a Mostra pretende tirar o público da confortável posição de mero observador para colocá-lo no centro do processo criativo. Um exemplo? A apresentação de Trem Fantasma, de Christoph Schlingensief. O projeto inédito é inspirado na ópera de Richard Wagner e utiliza, em todas as cidades por onde passa, elementos do local que a recebe. A apresentação oficial ocorre no Sesc Belenzinho de 22 a 25, e de 27 de novembro a 2 de dezembro. No entanto, antes disso, mais que ''chegar quando o show estiver já pronto'', o público da Mostra Sesc vai poder acompanhar todo o processo de montagem do espetáculo, que vai ser transmitido ao vivo no site www.sescsp.org.br/circulacoes a partir de amanhã.Tirar o público da inércia em que a produção de arte em massa o tem colocado não é tarefa fácil. Mas o resultado compensa. "Queremos tirar as pessoas da frente da platéia e levar para os bastidores. Que elas vejam o processo de funcionamento e de criação. Se não de todas as obras e shows, pelo menos de uma grande parte, fazendo com que haja um desnudamento desse processo na frente do público. Que saibam como conceber, fazer, montar é tão importante quanto exibir um trabalho artístico", conta Danilo Santos de Miranda, diretor regional do Sesc São Paulo. "Há uma dupla intenção. Além do lado conceitual, Circulações significa espalhamento territorial, já que a Mostra chega a 80 cidades do interior, que nunca receberiam certos espetáculos e shows se não houvesse a edição anual da Mostra", completa. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.