Mostra de Dramaturgia ocupa o TBC

Após a grande maratona, a despedida. A Mostra de Dramaturgia Contemporânea (Teatro Popular do Sesi, maio de 2002), depois de aportar em formato menor em Belo Horizonte e no Rio de Janeiro, e receber indicação para o Prêmio Shell na categoria Projeto Especial, encerra o projeto 2002 no TBC (Teatro Brasileiro de Comédia), com apresentações que vão de hoje até o dia 15 de dezembro.Com patrocínio da Volkswagen, Renato Borghi, Luah Guimarãez, Elcio Nogueira e Débora Duboc mostram seis dos 15 espetáculos que estiveram em cartaz no Teatro Popular do Sesi, com filas quilométricas e sempre casa lotada. E anunciam que o projeto continua no ano que vem, com novo patrocínio do Sesi e possivelmente em novo formato. Será a Mostra Sesi de Dramaturgia Contemporânea 2003.Nesta edição que está encerrando o ciclo no TBC estão os seguintes espetáculos: Blitz, de Bosco Brasil; Sonho de Núpcias, de Otávio Frias Filho; Três Cigarros e a Última Lasanha, de Fernando Bonassi e Victor Navas; O Regulamento, de Samir Yazbek; Cordialmente Teus, de Aimar Labaki e Remoto Controle, de Leonardo Alkmim.Também formam um painel significativo os diretores de cada espetáculo: Ariela Goldman, Maurício Paroni de Castro, Débora Dubois, William Pereira, Ivan Feijó e Elias Andreato. O público verá dois espetáculos de sexta a domingo (cada um tem entre 20 e 40 minutos), que mudam a cada duas semanas.Vida urbana - Segundo Borghi, um dos fundadores do Teatro Oficina e protagonista da antológica montagem de O Rei da Vela, de Oswald de Andrade e direção de Zé Celso, as peças têm forma e conteúdo de grande variedade, mas guardam no bojo um parentesco com a problemática da vida urbana. "Ressaltam questões como os enigmas da comunicação e a sobrevivência do cidadão na grande metrópole do século 21."Complementa: "Nosso desejo foi revelar uma dramaturgia já existente, colocar luz sobre o coração de São Paulo." Élcio complementa: "Quisemos revelar para um grande público o que até então era feito para cada gueto."Em Blitz, um policial suspeito de assassinar um adolescente tenta convencer a esposa de sua inocência. Três Cigarros... é o monólogo de um homem que teve sua mão decepada. O Regulamento mostra um acerto de contas entre personagens emblemáticas.Na última semana, as comédias Cordialmente Teus, que é um desafio para se compreender as relações políticas e sociais nesses 500 anos de formação do País, e Remoto Controle, em que a súbita amnésia de uma produtora de eventos causa distúrbios entre um casal e seus convidados para o jantar. Entre os atores convidados, está escalada a atriz Ângela Dip.Continuidade - Em seleção menor, a mostra ganhou as cidades de Belo Horizonte e Rio, com grande sucesso de público e crítica. "Nas duas capitais, já havia um olhar voltado para a dramaturgia local, o que garantiu uma recepção calorosa de um público altamente especializado", relembra Nogueira. Ele lembra que autores como Bosco Brasil e Mario Bortolotto ganharam um reconhecimento maior a partir da mostra.Não só possibilitar uma maior visibilidade a novos textos, como aprofundar a reflexão em torno da nova dramaturgia - são algumas das proposições de Renato Borghi para compor a mostra de 2003. A comissão curadora será a mesma (Borghi, Nogueira, Guimarãez, Duboc e Fernando Bonassi), mas deverá ser formada uma consultoria, para análise e seleção de textos. "O projeto ainda está sendo criado, mas nossa aspiração é alargar o espectro da mostra com textos de outras regiões do Brasil e, quem sabe, uma peça latino-americana."Mostra de Dramaturgia Contemporânea. Nas primeiras duas semanas, ´Blitz´. De Bosco Brasil. Direção Ariela Goldman. ´Sonho de Núpcias´. De Otávio Frias Filho. Direção Maurício Paroni de Castro. Sexta e sábado, às 21 horas; domingo, às 20 horas. R$ 10,00. TBC - Sala TBC. Rua Major Diogo, 315, tel. 3115-4622. Até 15/12.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.