Mostra de arte celebra os 50 anos da integração européia

A grande cultura da Europa - da clássica à medieval, da renascentista à moderna e contemporânea - está sendo apresentada ao público através da mostra Obras-Primas da Arte Européia a partir deste sábado no Palácio do Quirinale (sede da Presidência da República da Itália), em Roma.Com 30 trabalhos vindos dos 27 países que compõem a União Européia, a exposição celebra os 50 anos do Tratado de Roma, assinado em 25 de março de 1957, instituindo a Comunidade Econômica Européia.A mostra cobre cinco mil anos de história, indo do 3º milênio a.C., com A Mãe Terra, de Malta, até 1976, com o quadro Profecia sobre Veneza, de Kirkeby, da Dinamarca.Inclui ainda um tesouro búlgaro dos séculos 9 e 10, santos bizantinos e cenas bíblicas, paisagens e pinturas de Tiziano, Velásquez e Mondrian. Entre as raridades, destaque também para uma Kore, estátua de mármore de uma mulher da antiga Acrópole de Atenas, datada de 530 a.C.Cada país escolheu uma peça emblemática da sua própria história e da idéia de Europa. O vaso grego com a pintura O Rapto da Europa, do início do século 4 a.C., foi a obra escolhida pelos países participantes da mostra para representar o símbolo de riqueza e, ao mesmo tempo, da integração do patrimônio cultural europeu. O Pensador, de Rodin, Retrato do Homem de Olhos Cinzas, de Tiziano, e Vista do Jardim da Villa Médici, de Velásquez, são algumas das obras expostas.A mostra estará aberta ao público até 20 de maio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.