Mostra confronta propaganda nazista, fascista, soviética

O Museu de História da Alemanha expõe, a partir desta quinta-feira, a mostra Arte e Propaganda: A disputa entre as nações 1930-45, que reúne 400 cartazes da Alemanha nazista, da Itália fascista, do stalinismo soviético e dos Estados Unidos. A exposição recupera cartazes e outros objetos, provenientes de museus e coleções particulares, que expõem a iconografia política da época. Junto com imagens características, como as da foice e do martelo e da suástica, serão exibidas outras, como as que retratam a estátua da Liberdade, realizadas por encomenda do programa "New Deal", do presidente americano Franklin Roosevelt. "A mostra não pretende estabelecer paralelos entre as ditaduras nazista, stalinista e os EUA dos anos 30", explicou hoje o diretor da exposição, Hans-Joerg Czech. "Muito menos relativizar o regime do terror nazista, por meio da comparação dos cartazes propagandísticos realizados por encomenda dos países", acrescentou. O objetivo é "pôr em evidência os delírios de grandeza, desumanização e o espírito belicista do regime nazista", segundo Czech. A exposição estará aberta ao público até o dia 29 de abril.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.