MorumbiFashion: Rygy desfila releitura dos anos 80

Carioquíssima, a Rygy entrou na passarela mostrando suas origens. A modelagem é bem pequena e cavada e a inspiração é uma releitura dos anos 80, com muito brilho nos materiais. Reynaldo Gianecchini fez duas entradas, mas deixou o público feminino decepcionado. Não pela falta de beleza, mas porque apareceu todo vestido, de bermuda e camiseta, escondendo o corpo. O fundo da passarela, todo espelhado, anunciava o mote da coleção. Strass, lurex, paetês e cristais deixaram os biquínis e maiôs mais sofisticados. As estampas de uniformes de jogadores de futebol, com números desenhados, vinham nas cores vermelho, rosa e preto. Os modelos são esportivos com calcinhas mais altas e tops. O resto do desfile foi caminhando para um patamar de sofisticação cada vez maior. Primeiro foram as estampas de estrelas, corações dourados, chapéus de cowboy e formas geométricas. Em seguida, muito brilho, mas não faltaram materiais esportivos. A Rygy transportou o urbano para o cenário da praia, usando o jeans como base para maiôs, tanguinhas e sutiãs cortininhas. Todos com aplicações de cristais coloridos formando triângulos, quadrados ou pontinhos nas peças. As tachinhas também estiveram presentes reforçando o revival dos anos 80, assim como as argolas aplicadas.Para anunciar a seqüência das estampas camufladas e das cores de terra, Gianecchini entrou vestindo uma camiseta estilo exército e um bermudão de sarja cáqui. A moda masculina foi seguida por sungas largas, com cintura baixa.Os acessórios também contaram com muito glamour: nos pés, Havainas com solado de cristal, lançamento para este verão e sandálias de salto alto. Como saída de banho, sainhas e shorts micro, camisas e calças agarradas.

Agencia Estado,

03 de julho de 2000 | 22h36

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.